Desporto

Selecção Nacional estreia frente à similar do Chade

Armindo Pereira

A Selecção Nacional sénior masculina de basquetebol (B) começa a trajectória na edição inaugural do Afrocan frente ao Chade, hoje, às 15h00, no Palácio dos Desportos de Salamatou Maiga, em Bamako, capital do Mali, em desafio referente à primeira jornada do Grupo C.

Paulo Macedo e jogadores revelam ambição de vencer a partuida inaugural da competição
Fotografia: Vigas da Purificação|Edições Novembro

O primeiro teste do “cinco nacional” de Esperanças é com um adversário teoricamente modesto, a julgar pela trajectória das duas nações em provas internacionais. Cabe aos orientados de Paulo Macedo confirmarem o favoritismo e "entrar com o pé direito" na prova que doravante substitui o Afrobasket.A prova é reservada a atletas que actuam nos campeonatos internos, com possibilidade de inscrição de dois que jogam no exterior. Em declarações à imprensa, antes do embarque, o seleccionador nacional Paulo Macedo falou dos objectivos. “Seria bom classificarmo-nos para os quartos-de final na liderança do grupo, e ficarmos à espera do próximo adversário, porque o segundo e o terceiro de cada série disputam uma vaga para a outra etapa”, analisou. 

O segundo classificado do Grupo A medirá forças com o terceiro do B, e da série B joga com o terceiro do A. O segundo do C defronta o terceiro do D, ao passo que o segundo terceiro desta série tem pela frente o terceiro do C.
Os derrotados desta eliminatória disputam as classificativas do quinto ao oitavo lugar. O desafio para atribuição do terceiro lugar acontece antes da final, no dia 27 do corrente.
Para esta empreitada Paulo Macedo chamou os seguintes jogadores: Hermenegildo “Gildo” Santos, Childe Dundão, Carlos Cabral “Ketson” (bases), os extremos Edson Ndoniema, Jonatan Ndjungu, Alexandre Ndjungu, Ngombo Rogério, Jucelino Ricardo, Fidel Cabita e Glofate Buiamba, e os postes Jilson Bango e Mutau Fonseca.

“Speed Gonzales”

O atleta do Petro de Luanda Childe Dundão, de 21 anos, 1,76 metros, é um dos jogadores destacados no site oficial da FIBA África. De acordo com a publicação Dundão “é inquestionavelmente o futuro base principal da selecção mais titulada do continente”.
A velocidade do “Speed Gonzales”, apelido que granjeou nas lides do basquetebol nacional e a “excelente” mobilidade com controlo de bola foram igualmente enaltecidas.
Do lado contrário, o destaque recaiu para o chadiano Michael Koibe, como uma das maiores promessas daquele país do centro norte africano. O extremo de 1,86 metros, 26 anos "é apoiado pelo compatriota Placide Nakidjim", melhor marcador pela sua selecção, durante o Torneio Africano de Qualificação para o Mundial da China.
O último encontro entre ambas as selecções, com os respectivos elencos principais, aconteceu há sete meses, em Luanda, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, aquando da disputa da quinta e última janela do torneio continental de qualificação para o Mundial, onde estavam inseridos no Grupo E. Angola despachou o Chade por expressivos 90-50, com os favoráveis 44-23, ao intervalo.
Ainda de acordo com a FIBA, uma das vantagens do Afrocan é a de dar oportunidade aos jogadores menos conhecidos de apresentarem-se e mostrarem o que são capazes de fazer, além de proporcionar a experiência de competir internacionalmente. Ontem, para abertura o cartaz reservou as seguintes partidas: Quénia-RDC (Grupo B), Guiné Conacri-Egipto (Grupo D), Argélia-Costa do Marfim (Grupo A) e Chade-Marrocos (Grupo A).

Tempo

Multimédia