Desporto

Sonangol confirma recondução de Tomás Faria

Juscelino da Silva

A direcção da Sonangol decidiu, hoje, em reunião realizada na sua sede, reconduzir o presidente cessante do Petro de Luanda, Tomás Faria, para mais um mandato de quatro anos, soube o Jornal de Angola diante de uma fonte próxima ao Conselho Geral do clube do eixo-viário.

Fotografia: DR

Depois de um período de incertezas da massa associativa, o sócio maioritário do clube tricolor acabou com as dúvidas. “O trabalho realizado em tempos de crise, o saneamento económico feito em todos os sectores, associado aos títulos desportivos com predominância no basquetebol, levou a direcção da Sonangol presidida por Sebastião Pai Querido a dar um voto de confiança ao antigo presidente de direcção do Petro de Luanda”, disse a fonte.

O Jornal de Angola apurou que a não disponibilidade de quadros para ocupar o cargo de presidente de direcção contribuiu para a permanência. Nos últimos tempos, aventou-se o nome de Jorge Vinhas “Bavi”, membro do Conselho de Administração, para ocupar o cargo, mas o homem forte da petrolífera angolana, Sebastião Pai Querido, não aceitou que o antigo jogador do clube dirija o Petro de Luanda. A situação abriu caminho para Tomás Faria continuar à frente da direcção do clube tricolor.

Agora, o presidente reconduzido deve elaborar a lista de membros de direcção que pretende apresentar na Assembleia Geral ordinária de renovação de mandatos para o ciclo 2020-2024, agendado para o mês de Julho. O evento vai ser realizado no sistema de vídeo-conferência. Nesse momento, a direcção do clube está empenhada na criação de condições de biosegurança face à pandemia da Covid-19. A tomada de posse do elenco está marcada para Agosto.

Na última conferência de imprensa, realizada na sede social do clube, Tomás Faria condicionou a continuidade na presidência do Petro de Luanda a mudanças constantes no Conselho de Administração. Tomás Faria rendeu no cargo o malogrado Mateus de Brito. Antes, o clube foi presidido por António Mangueira, Botelho de Vasconcelos, Silva Neto, Paulo Gouveia Júnior e Cardoso Pereira. O Petro de Luanda foi fundado a 14 de Janeiro de 1980 e movimenta as modalidades de andebol, basquetebol, futebol, ginástica, vela, voleibol, karaté-dó, atletismo e hóquei em patins.

Tempo

Multimédia