Desporto

Soubak está de “olho” na Selecção Nacional

Teresa Luís

O dinamarquês Morten Soubak revelou esta semana ao Jornal de Angola, em meio às incertezas, o interesse em orientar a Selecção Nacional sénior feminina de andebol nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2021, caso haja uma proposta da Federação Angolana de Andebol.

Dinamarquês está à frente das Pérolas de África desde 2017
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

A implementação de uma filosofia de jogo diferente nas Pérolas constitui o maior resultado do trabalho nos últimos três anos.

“Caso seja convidado, será uma honra para mim. Quando começamos um projecto é natural pensar na continuidade. Estou disponível. Os Jogos Olímpicos de Tóquio podem servir de marco do trabalho até então desenvolvido, pois seria interessante ver até aonde podemos chegar”, disse.

Morten Soubak reconhece que as expectativas nem sempre foram alcançadas na selecção, mas é visível a evolução das jogadoras em vários aspectos. O treinador descreveu os feitos alcançados ao serviço das campeãs africanas.

“Em 2017, disputámos o campeonato mundial na Alemanha e os resultados não foram os mais desejados. Ainda assim, continuámos focados no nosso trabalho. No ano seguinte, revalidámos o título continental no Congo. Em 2019, fomos bem sucedidos nos Jogos Africanos de Rabat, Marrocos. Também assegurámos a presença no Torneio do Senegal. Antes participámos de vários torneios internacionais e depois fomos ao Campeonato do Mundo de Japão, onde o feedback foi positivo”, explicou.

Questionado sobre o vínculo contratual com o 1º de Agosto, condição primária para permanência na Selecção Nacional, Morten Soubak desconhece o desfecho.

“Tudo a seu tempo. O contrato expira em Dezembro deste ano”, disse. Com a equipa militar, o técnico orgulha-se de ter ganho um troféu inédito: “no ano passado, vencemos o Mundial de Clubes e revalidámos a Taça dos Clubes Campeões Africanos. Portanto, foi muito gratificante”.

Tempo

Multimédia