Desporto

Traça e Cosano realçam espírito dos jogadores

António de Brito

O treinador-adjunto do 1º de Agosto, Ivo Raimundo, mantém a crença na revalidação do título do Girabola, destacando o espírito que norteia o grupo de jogadores para o alcance do principal objectivo diante do Kabuscorp do Palanca.

Fotografia: Vigas da purificação| Edições Novembro

Na conferência de imprensa, a seguir ao último treino da equipa, Ivo Traça descartou outro resultado que não sejam os três pontos.
“Não nos passa pela cabeça empatar ou perder o jogo com o Kabuscorp. Se quisermos ser campeões, temos de vencer obrigatoriamente. Sabemos de antemão que a tarefa que nos aguarda se afigura difícil. Estamos proibidos de falhar, sob pena de perdermos o campeonato na última jornada”, alertou.
Apesar de prever uma partida difícil, o técnico-adjunto de Dragan Jovic referiu que a equipa esbanja confiança e não joga pressionada frente ao conjunto palanquino.
“De alguma forma, porque sabemos o que queremos. Não vai ser agora que vamos deitar tudo a perder. Encaramos este jogo com naturalidade. Por isso, estamos tranquilos e focados apenas na vitória”, assegurou o treinador assistente da formação do Rio Seco.
Por banda do Petro de Luanda, o técnico António Cosano não escondeu a vontade de triunfar sobre o Progresso Sambizanga e esperar que o líder do campeonato perca diante do Kabuscorp do Palanca.
“Este é o objectivo que nos move. Nós entramos em todos os jogos com o pensamento nos três pontos e não será diferente neste desafio. Na eventualidade de o 1º de Agosto perder ou empatar, o Petro de Luanda fica com o campeonato”, referiu, acrescentando que a formação petrolífera está motivada, porque vem de resultados positivos, tanto no Girabola, quanto na Taça de Angola.
Quando questionado sobre a decisão do título na derradeira jornada, o treinador espanhol adiantou que “o campeonato está interessante. Nos últimos três anos, a competição tem sido assim. Portanto, estou satisfeito com o nível técnico do Girabola”.

Tempo

Multimédia