Desporto

Traficante pediu a Asprilla para matar Patrick Chilavert

A história tem mais de 20 anos. Em 1997, num jogo entre as selecções de futebol do Paraguai e da Colômbia, de apuramento para o Mundial de 1998, José Luis Chilavert (guarda-redes paraguaio) e Faustino Asprilla (avançado colombiano) pegaram-se e acabaram expulsos.

Fotografia: Dr

O guardião chegou mesmo depois a ir ao banco de suplentes da Colômbia e agredir o adversário. O que não se sabia foi o que aconteceu a seguir à partida que os paraguaios venceram por 2-1.
Num documentário emitido esta semana, por uma cadeia de televisão colombiana, Asprilla revelou que, após jogo, foi contactado por um traficante ligado ao Cartel de Medellín, que lhe pediu autorização para matar Chilavert.Julio César Correa Valdés, assim se chamava o traficante, ligou a Asprilla para se encontrarem num hotel onde o jogador estava hospedado. “Precisamos que nos autorize a que esses dois (assassinos profissionais) fiquem aqui em Assunção, para matar aquele gordo do Chilavert”, disse Valdés para espanto de Asprilla. Assustado com o que acabara de ouvir, Asprilla recusou de imediato o que lhe propuseram.

Tempo

Multimédia