Desporto

Treinador dos Palancas lamenta disputa de jogos em quatro dias

António de Brito

A disputa de dois jogos no espaço de quatro dias, frente às congéneres da Gâmbia e do Gabão em 13 e 17 do corrente mês, em Luanda e Libreville, referentes à primeira e segunda jornadas do Grupo D de apuramento para o Campeonato Africano das Nações (CAN/2021), nos Camarões, não passou despercebida e mereceu a reacção do novo treinador dos Palancas Negras, Pedro Gonçalves.

Capitão Mateus Galiano (à esquerda) e companheiros da diáspora são aguardados segunda-feira
Fotografia: José Cola | Edições Novembro

Em conferência de imprensa o ex-técnico da Selecção Nacional Sub-17, informou que a Confederação Africana de Futebol (CAF) devia ter acautelado esta situação.

“A nossa perspectiva não era jogar na quarta-feira, ao contrário do que sucede na Europa, onde há muitos voos. Acaba por ser mais penalizador para nós, porque jogaremos na quarta-feira e depois jogar no Gabão, no domingo. Em Outubro, na Data-FIFA, não tivemos oportunidade de competir, mas a Gâmbia acabou por fazê-lo”, lamentou.
Sem mãos a medir, a Selecção Nacional realiza, hoje, às16h00, no Estádio Municipal dos Coqueiros, a segunda sessão de treino com o técnico Pedro Gonçalves, a centralizar os trabalhos da equipa na recuperação física dos jogadores e na melhoria dos fundamentos técnicos.
Na parte final da preparação, o seleccionador nacional improvisa a habitual “peladinha” numa parte do terreno de jogo, com o objectivo de corrigir imperfeições e avaliar o desempenho individual e colectivo dos atletas. A finalizar os trabalhos, os integrantes do conjunto angolano são submetidos a exercícios físicos de alongamentos, privilegiando abdominais e corridas ligeiras à volta do campo.

Ausências marcaram ontem o arranque

Ontem, no arranque dos trabalhos, Pedro Gonçalves trabalhou com 12 dos 15 girabolistas convocados, nomeadamente Tony Cabaça e N'sesane (guarda-redes); Isaac, Wilson, Quinito, Diógenes, Nandinho e Além (defesas); Herenilson e Ito (médios); Yano e Mano Calesso (avançados). Paizo e Macaia, ambos do 1º de Agosto, não justificaram ao corpo técnico as ausências. Landu, do FC Bravos do Maquis, chega apenas hoje a Luanda.
Os estreantes Quinito e N'sesane receberam o "baptismo" dos colegas e do corpo técnico, no centro do terreno. Ambos prometem dignificar a chamada à Selecção Nacional com trabalho para constarem do lote dos eleitos de Pedro Gonçalves.
Na terça-feira, o grupo fica completo com a chegada dos jogadores que actuam na diáspora, por força dos compromissos com os respectivos clubes hoje e amanhã.
Para o duplo compromisso dos Palancas Negras, Pedro Gonçalves convocou 25 jogadores, sendo três guarda-redes: Tony Cabaça (1º de Agosto), N'sasene (Académica do Lobito) e Landu (FC Bravos do Maquis); os defesas Isaac e Paizo (1º de Agosto), Wilson e Diógenes (Petro de Luanda), Fernando Quissanga (Progresso Sambizanga), Quinito (Interclube), Bastos Quissanga (Lázio de Itália) e Núrio Fortuna (Charleroi da Bélgica).
Para o campo Pedro Gonçalves chamou Além e Herenilson (Petro de Luanda), Macaia (1º de Agosto), Show (Lille de França), Fredy (Alanyaspor da Turquia) e Ito (Interclube). Para o ataque foram convocados Gelson Dala (Alanyaspor da Turquia), Yano (Petro de Luanda), Fábio Abreu (Moreirense de Portugal), Mateus Galiano (Boavista), Vá (Pagos do Chipre), Geraldo (Al Ahly do Egipto),Mano Calesso (Interclube) e Wilson Eduardo (Braga de Portugal).

Tempo

Multimédia