Desporto

Trio africano divide prémio da bota de ouro

Anaximandro Magalhães

O trio de avançados africanos, liderado pelo gabonês Pierre-Emerick Aubameyang, o egípcio Mohamed Salah e o senegalês Sadio Mané, todos com 22 golos, repartem o troféu da bota de ouro, ao terminarem na primeira posição da lista dos melhores marcadores da Premier League, designação oficial do campeonato inglês.

Fotografia: DR

Esta é a terceira vez desde a criação da Premier League (1992/93) que o troféu de melhor marcador é repartido por três atletas. A primeira foi em 1997/98, entre Chris Sutton, Dion Dublin e Michael Owen, e a segunda em 1998/99, tendo Michael Owen, Dwight Yorke e Jimmy Hasselbaink, terminado empatados.
Salah, avançado de 26 anos do Liverpool, chegou à última jornada na liderança mas, ao ter ficado em branco, viu o companheiro de ataque e equipa, Mané, 27 anos, igualar-lhe. No último jogo dos reds, domingo, Sadio fez balançar por duas vezes a rede da baliza do Wolverhampton.
Por sua vez, Aubameyang, avançado de 29 anos, do Arsenal, também chegou à derradeira ronda colado à concorrência e, graças ao dois tentos frente ao Burnley, terminou no primeiro lugar do pódio.
O gabonês alinhou em 36 das 38 jornadas do campeonato das terras de sua Majestade e obteve uma média de 0,61 golos por encontro.
Com a mesma média em igual número de desafios, terminou Mané. Já Mo Salah fez 0,58, 4 em 38 encontros. Contrariamente à época passada em que terminou com 32 golos, estabelecendo um recorde, o craque do país das pirâmides e eleito este ano, pela segunda vez consecutiva, melhor jogador africano, ficou muito aquém.
Salah aufere 415 mil euros por mês e é tratado como um rei na Europa. Os dois futebolistas do Liverpool, equipa orientada por Jürgen Klopp, técnico de nacionalidade alemã, podem, depois de perdido o campeonato, conquistar a Liga dos Clubes Campeões, a Champions League.
Na final, agendada para 1 de Junho, Klopp e pupilos defrontam os ingleses do Tottenham, na cidade de Madrid.

Tempo

Multimédia