Dossier

Cunene festeja anos com muitas obras públicas

Domingos Calucipa e Elautério Silipuleni | Ondjiva

O Cunene assinalou, no dia 10, o 41º aniversário da separação da Huíla, ascendendo à categoria de distrito, hoje província.
Para comemorar a data, decorreram em todas as sedes municipais actividades comemorativas, com realce para as feiras comerciais.

A cidade de Ondjiva acolhe desde o princípio da semana as festas que assinalam quatro décadas da província do Cunene
Fotografia: Jornal de Angola

O Cunene assinalou, no dia 10, o 41º aniversário da separação da Huíla, ascendendo à categoria de distrito, hoje província.
Para comemorar a data, decorreram em todas as sedes municipais actividades comemorativas, com realce para as feiras comerciais, mas sem faltarem espaços de comes e bebes e outros atractivos, como partidas de futebol e manifestações culturais.
As jornadas foram abertas no dia 1, pelo governador da província, que, na ocasião, defendeu a promoção de acções para a construção de mais escolas, postos e centros de saúde, estradas, sistemas de fornecimento de energia e de água, entre outros serviços sociais indispensáveis ao bem-estar das populações.
Todas as sedes municipais e comunais, incluindo as aldeias e as localidades mais populosas, referiu António Didalelwa, têm estabelecimentos de ensino e de saúde e equipamentos de abastecimento de água e de energia eléctrica, o que permitiu reduzir as grandes distâncias que muitas populações tinham de percorrer para acederem àqueles serviços.
Ondjiva, principal centro populacional, por exemplo, frisou, regista um crescimento notável, com ruas melhoradas, hospital provincial ampliado, um aeroporto moderno, duas instituições do ensino médio e uma do ensino superior e o aumento do número de salas no nível básico, o que garante mais vagas nas escolas.

Estradas e água

No domínio das estradas estão a ser reabilitadas as vias que ligam Ondjiva à sede do município do Cuvelai, 166 quilómetros, e a Santa Clara, 40 quilómetros.
As obras da primeira empreitada têm os prazos vencidos e os da segunda terminam no final de 2012.
Nos últimos tempos, disse, os esforços do governo têm sido direccionados para a execução de projectos de abastecimento de água potável a Ondjiva e é neste contexto que está em marcha um grandioso projecto de construção de uma conduta, de 145 quilómetros, a partir do rio Cunene, em Xangongo.
O objectivo é levar água potável à cidade capital da província e a zonas no perímetro da linha entre as sedes comunais da Môngua e de Hanhanga.
A construção desta grande obra começou em finais de 2010 e tem a duração de dois anos. As obras estão paradas devido ao atraso na chegada de alguns equipamentos.
Outra obra em execução é a do projecto “Água Oipembe”, muito adiantada, que assenta na reactivação dos furos da localidade de Oipembe, arredores de Ondjiva, para abastecer um conjunto de chafarizes instalados em alguns pontos da cidade.

Energia eléctrica

No capítulo da energia eléctrica, o fornecimento às populações do Cunene continua, ainda, muito dependente da Namíbia, através de uma linha de média tensão que transporta perto de seis megawatts, que abastece Santa Clara, a vila de Namacunde e a cidade de Ondjiva.
As restantes sedes municipais e comunais são abastecidas por grupos geradores.
Em carteira há construção de uma barragem hidroeléctrica, no rio Cunene, um projecto conjunto de Angola e Namíbia, avaliado em 1,1 mil milhões de dólares, que tem como finalidade reduzir o défice de fornecimento de energia que se regista, nos últimos anos, na província e naquele país vizinho.
O projecto, denominado Baynes, tem o início previsto para 2013 e conclusão em 2017. Não está determinada a capacidade de produção, mas o objectivo é gerar energia suficiente para abastecer o território namibiano e a província do Cunene, com financiamento repartido em partes iguais pelos dois países.
O governador Didalelwa lembrou que a província é atingida, desde há três anos, por uma vaga de inundações, que tem prejudicado a execução de muitos projectos de impacto social e económico do governo e a vida das populações.
“Acerca desta calamidade, o Executivo tem sabido dar respostas, visando a melhoria das condições de vida da população”, salientou.

Expo-Cunene

O grande destaque das comemorações do aniversário da província é a habitual feira agro-pecuária, comercial e industrial, a “Expo-Cunene 2011”, que decorre, em Ondjiva, de 14 até ao dia 23, com a participação de expositores de empresas nacionais e estrangeiras.
A sexta edição da Expo-Cunene 2011 vai contribuir para a consolidação das relações comerciais entre empresários de Angola e da Namíbia e criar oportunidades para o estabelecimento de parecerias entre homens de negócios dos dois países, disse o presidente da Câmara do Comércio e Indústria do Cunene.
Francisco Boleth, que é também o director da Expo-Cunene 2011, afirmou que a realização da feira é uma oportunidade para realizar grandes negócios e para a troca de experiências entre empresários dos dois países, principalmente nos sectores da indústria, do comércio e da agro-pecuária.
“Com a abertura da Expo-Cunene surgem novas oportunidades para o estabelecimento de parcerias, visando a entrada de produtos namibianos em Angola e vice-versa e contribuir para integração e o engrandecimento da economia na região”, referiu.
Para a presente edição, anunciou, estão inscritos mais de 200 expositores distribuídos por pavilhões de produtos imobiliários, pecuários, industriais e de engenharia de construção civil. A feira tem reservado, também, um espaço para a instalação de cerca de 250 barracas de comes e bebes e de salões de beleza.
A feira reserva ainda outros atractivos, como espectáculos musicais, além da oportunidade que é dada a cada município de mostrar as potencialidades nos diferentes domínios.
As comemorações, que decorrem até ao final do mês, contemplam a realização de debates radiofónicos sobre o desenvolvimento da região e inaugurações de empreendimentos sociais e económicos nos municípios de Ombadja, Cuvelai e Namacunde, como naves hospitalares, escolas, casas veterinárias, residências para administradores, sistemas de energia e água e entrega de tractores, alfaias e carrinhas às cooperativas agrícolas de Calueque e do Cuvelai.
O programa de actividades reserva ainda a inauguração da rádio comunitária, os sinais da TPA 1 e TPA 2 e sistemas de água e energia no município do Cuvelai.

Situação geográfica

A província do Cunene tem 77.213 quilómetros quadrados e uma faixa fronteiriça com a Namíbia de 460 quilómetros, dos quais 120 correspondem ao troço internacional do rio Cunene, desde as quedas do Monte Negro às do Ruacaná, seguindo para Este, numa extensão de 340 quilómetros, até ao marco-55.
A divisão político-administrativa compreende 273 aldeias, 20 comunas e seis municípios, Kwanhama, Ombadja, Kahama, Namakunde, Cuvelai e Curoca.
Os principais grupos étnico-linguísticos são os ovakwanyama, ovambadya, nyaneka-nkhumbi, mundimba, muhimba, herero, muhakavona e ovakwanghala (bushman), cujas principais actividades são a agricultura, criação de gado, exploração de madeira e pesca artesanal.
A língua oshikwanyama é predominante nos municípios do Kwanhama e Namakunde, enquanto que nos de Ombadja, Cuvelai, Kahama e Curoca predominam o oshimbadja, nkhumbi, handa, mundimba, muhimba, herero, muhakavona, cokwe nganguela.
Muitas das línguas faladas no Cunene também o são na vizinha República da Namíbia. Muitos cidadãos dos dois países, sobretudo nas zonas fronteiriças, têm laços de consanguinidade.

Tempo

Multimédia