Dossier

Lojas estão a fazer promoções da roupa para o frio

Helma Reis|

Falta apenas uma semana para o fim do tempo frio e muitas lojas estão já a fazer promoções. Papéis pregados à porta dos estabelecimentos comerciais, principalmente de roupa, dão conta disso mesmo e vêem-se não só na zona urbana como nas periferias. A redução de preços começou há cerca de duas semanas.

Interior de um estabelecimento de venda de roupas no centro da cidade de Luanda com uma razoável afluência de clientes devido às promoções de mudança de estação
Fotografia: Mota Ambrósio

Falta apenas uma semana para o fim do tempo frio e muitas lojas estão já a fazer promoções. Papéis pregados à porta dos estabelecimentos comerciais, principalmente de roupa, dão conta disso mesmo e vêem-se não só na zona urbana como nas periferias. A redução de preços começou há cerca de duas semanas.
Alzira de Oliveira, auxiliar de limpeza, afirmou que a compra de roupa se tem tornado uma mania entre as pessoas e que quem mais beneficia com isso são os proprietários de boutiques e outros estabelecimentos que comercializam vestuário.
Em muitas boutiques, sempre que um produto começa a ficar fora de moda ou a estação muda, são feitos saldos para atrair mais clientes. O objectivo é reaver, pelo menos, o dinheiro gasto pelos comerciantes na compra do produto.
"Eu gosto quando as lojas entram na fase promocional. Facilita-nos a vida e conseguimos economizar um pouco mais, porque os preços são acessíveis", afirmou Alzira de Oliveira, que considerou que é importante as pessoas comprarem roupa, mas há quem "adquira mais, mesmo sem precisar, só para ver o guarda-fato lotado".

Tendência das lojas

Carla Sebastião, gerente de uma loja de roupa infantil, explicou que os descontos são comuns no fim do mês de Julho. "Geralmente fazemos duas promoções por ano. Uma em Janeiro e outra em Agosto, que é a troca de colecção", acrescentou. 
Cada dia que passa, surge uma nova loja de venda de roupa em todo o país, diz Carla Sebastião, para quem o mundo da moda registou grandes avanços, porque as roupas que faziam sucesso no passado voltam a fazer sucesso agora, embora com algumas alterações. "Não podemos esquecer que quem faz a moda somos nós", frisou.
As lojas de roupa, referiu, apresentam todas as tendências de tudo o que está ou vai estar na moda. As pessoas procuram as roupas que são de máxima qualidade, mas também optam por coisas mais baratas.
Os preços baixos vão permanecer até ao fim do mês de Agosto. "Às vezes, acontece que temos mil peças, mas o stock está parado. E para se fazer a troca de colecção é preciso vender o que restou da época anterior, que é o frio que já está a terminar. O lucro é ínfimo, mas a adesão das pessoas e as vendas aumentam consideravelmente. Compensa", reconhece Carla Sebastião. Para renovar os stocks e atrair consumidores, alguns estabelecimentos comerciais chegam mesmo a oferecer descontos até 50 por cento durante este mês.
As lojas de malas e mochilas não ficam de fora. Procuram aproveitar o período de férias dos alunos e a época de viagens, para fazerem promoções e aumentar o número de venda diária, o que nem todos os dias é possível.

Leve dois pague um

Ana Bela foi a uma loja de roupa para jovens trocar um par de sapatos que tinha comprado recentemente. Por sugestão da funcionária, acabou por substituir a compra dos sapatos por um par de ténis e uma blusa. "Fiquei surpreendida, porque não sabia que tal podia acontecer", disse entusiasmada.
A prática do tipo de promoção "Leve dois, pague um" também é frequente na mudança de uma estação para outra.

Doenças sazonais

A época do frio acarreta consigo um cenário de tempo seco. Nesta altura, as pessoas tendem a estar mais agasalhadas para se proteger do vento frio.  Muitas pessoas, principalmente crianças, são atacadas por doenças de foro respiratório, havendo também quem padeça de enfermidades crónicas, que nesta altura se agravam.
Jorge Manuel Cruz, médico de clínica geral, disse que as doenças mais comuns no cacimbo são as das vias respiratórias superiores, como a renite alérgica, asma, sinusite, broncopneumonia, gripe, pneumonia, a amigdalite e a tuberculose, que nesse tempo actua com maior intensidade devido à humidade.
"A exposição à humidade e a ambientes fechados com pouco arejamento são factores que estimulam a ocorrência deste tipo de doenças", explicou o médico, acrescentando que as doenças das vias aéreas superiores se caracterizam por um quadro de dores de cabeça, irritação nas fossas nasais e, nalguns casos, febre, ao passo que as das vias inferiores, como a tuberculose, distinguem-se pela tosse persistente, febres altas, catarros e fraqueza.
"Essas doenças são tratadas com antibióticos, quando a patologia é causada por uma bactéria. Mas quando é causada por vírus o tratamento é feito apenas com antipiréticos", precisou.
Jorge Manuel Cruz adiantou que os vírus são responsáveis pelas doenças respiratórias agudas, que também podem ser causadas por bactérias, enquanto as reacções alérgicas são provocadas, na maior parte dos casos, pela poeira.
A asma, referiu, é uma doença genética que pode ser controlada, embora não tenha cura. "Para não ficar vulnerável às doenças, basta seguir algumas dicas, como deixar o ambiente ventilado, lavar as mãos frequentemente, beber bastante água, tossir, evitar acumular poeira em casa", aconselhou.

Doenças respiratórias são  frequentes

Gripe –  Com sintomas muito semelhantes ao do esmorecimento nos primeiros dias, é uma infecção viral que se agrava e tem, às vezes, duração de mais de uma semana. Além da tosse seca, do nariz entupido, o doente tem febre alta, dores no corpo e nas articulações, fraqueza e vontade de ficar na cama. Apenas os sintomas devem ser tratados, ou seja, em caso de febre. 
Rinite –  É provocada por uma bactéria que provoca a inflamação da mucosa do nariz, causando repetitivos espirros. Quando a inflamação está muito intensa, faz com que as curvaturas da face fiquem obstruídos, causa que predispõe para a sinusite. Deve ser tratada com antibiótico, ao passo que a sinusite, que também é uma infecção bacteriana capaz de causar obstrução nasal, tem como consequências dores na face e tosse seca.
Bronquite e asma –  A bronquite caracteriza-se por uma inflamação nos brônquios que pode ter várias causas, entre as quais uma infecção ou tabagismo.
É desencadeada como uma alergia, que atinge, particularmente, as pessoas que estão permanentemente em contacto com a poeira, produtos químicos, ou que ficam muito tempo em ambientes frios ou húmidos.
Pneumonia – É considerada a mais grave entre as doenças comuns do frio, pois é uma infecção bacteriana no pulmão, que compromete o estado geral da saúde. Os sintomas mais comuns são febre alta, perda da vontade de se alimentar, uma tosse forte, com secreção amarela e dor no peito. Deve ser tratada imediatamente depois de feito o diagnóstico.
A doença é mais comum em idosos, mas também pode acometer crianças, sendo mais grave em menores de um ano e em adultos acima dos 65 anos, fumadores e portadores de problemas cardíacos, renais e diabetes.

Tempo

Multimédia