Dossier

Nova estrada do progresso

Arão Martins | Lubango

O vermelho da argila de algumas ruas da sede municipal do Cuvango, na província da Huíla, foi substituído pelo asfalto preto, com a reabilitação da Estrada Nacional 208. A asfaltagem, além de permitir a circulação fluida de pessoas e bens, dá um novo panorama à sede do Cuvango, que fica a 350 quilómetros da cidade do Lubango.

A reabilitação da Estrada Nacional 208 que vai do município da Matala ao rio Cutato levou progresso ao município do Cuvango
Fotografia: Arão Martins | Lubango

O vermelho da argila de algumas ruas da sede municipal do Cuvango, na província da Huíla, foi substituído pelo asfalto preto, com a reabilitação da Estrada Nacional 208. O novo tapete asfáltico, além de permitir a circulação fluida de pessoas e bens para aquela localidade, confere um novo panorama à sede do Cuvango, que fica a 350 quilómetros da cidade do Lubango.
Alem da reabilitação da estrada, foram colocados novos lancis e reparados os passeios das ruas do Cuvango, no quadro do Programa de Intervenção Municipal, que abrange ainda a pintura e reabilitação das casas da vila. No quadro deste programa, está em curso a ampliação, reabilitação e construção de infra-estruturas económicas e sociais.
De acordo com o administrador municipal do Cuvango, João Hilifilua, estão igualmente a ser reabilitadas, construídas e ampliadas casas para professores e outros quadros do município. Para conferir uma nova imagem à sede do Cuvango, a administração municipal desenvolve campanhas de pintura e plantação de árvores e reparação dos jardins.
O administrador municipal referiu que, no quadro do programa de combate à fome e à pobreza, estão a ser desenvolvidas acções nos sectores das águas, construção de escolas, centros de saúde, agricultura, pescas e comércio. Estão ainda em curso, no quadro do programa “Agua para todos”, acções neste sector e decorrem obras de ampliação e reabilitação da rede de energia eléctrica.
Sobre o tapete asfáltico, João Hilifilua disse que a acção é de âmbito nacional e está enquadrada no programa de reabilitação da Estrada Nacional 208, que vai do município da Matala ao rio Cutato, na província da Huíla, num percurso de 169 quilómetros.
As obras, reconheceu, conferem uma nova dinâmica ao município, tornando mais fluida a circulação de pessoas e bens da região leste. Foram definidas como prioridades para o município a reabilitação de algumas ruas da sede do Cuvango, assim como o largo municipal.
Explicou que para o programa de asfaltar as vias, a sua administração já elaborou um conjunto de acções para a reabilitação das demais ruas da sede do município.
Antes do asfalto, a circulação rodoviária entre o Cuvango e a Matala durava dez horas. Actualmente, o trajecto é percorrido em duas horas.
 

Atenção aos camponeses

 

Os agricultores e camponeses do município de Cuvango vão beneficiar de novas áreas de cultivo, a serem distribuídas pela administração municipal, ainda este ano, no quadro do Programa de Combate à Fome e à Pobreza no Meio Rural.
O administrador municipal do Cuvango, João Hilifilua, disse que foram identificados 330 mil hectares de terras aráveis, que vão ser entregues aos agricultores e camponeses do município para a diversificação e aumento da produção. O responsável referiu que as terras identificadas são consideradas áreas para a produção de cereais como milho, massango, massambala, além de repolho, cenoura, couve, alho e frutícolas.
As áreas, salientou, estão localizadas nas comunas de Galangue, Vucungo, Cutato e nos arredores da sede do município do Cuvango. O administrador acrescentou que os programas do governo da província a nível do município do Cuvango decorrem a bom ritmo. “Neste momento, estão a ser construídas escolas, postos de saúde e algumas estradas estão a ser reabilitadas”, disse.
Para dinamizar a actividade do campo, está em curso, numa acção conjunta entre os bancos comerciais e a Direcção Provincial da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, a distribuição de instrumentos de trabalho, fertilizantes e sementes. Está ainda em curso, dentro do Programa de Combate à Fome e à Pobreza, o projecto de distribuição de equipamentos aos pescadores artesanais do município.
 


Novos empreendimentos
 


No quadro do programa de investimentos públicos para 2011, o administrador municipal disse que decorrem obras de construção da nova administração municipal e do hospital municipal e foi já reabilitado e ampliado o sistema de abastecimento de água da comuna de Galangue, a 105 quilómetros da sede municipal do Cuvango.
Quanto ao Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, João Hilifilua avançou que está em curso, no sector da educação, a construção de três escolas de seis salas de aulas cada.
No sector da saúde estão em construção três postos de saúde. Para dinamizar os serviços da agricultura e desenvolvimento rural, pescas e ambiente, decorre, a bom ritmo, a construção de uma casa T4 para acolher técnicos dessas áreas. Estão igualmente em curso obras de recuperação de uma mini-hídrica.
 


Mais água potável
 


As populações que vivem nas sedes comunais de Galangue e sede municipal do Cuvango têm garantido o consumo de água potável, com a conclusão das obras de reabilitação e ampliação do sistema de abastecimento do precioso líquido.
Na sede municipal, o sistema beneficia 10 mil pessoas e foram investidos pelo governo da província 63 milhões de kwanzas, enquanto na comuna de Galangue três mil pessoas beneficiam de água potável, obras que custaram ao Estado 18,9 milhões de kwanzas.
O director provincial da Huíla das Águas, Abel João da Costa, disse ao Jornal de Angola que o abastecimento de água potável às populações do município do Cuvango se enquadra no programa “Água para todos”, de iniciativa presidencial.
O director provincial das águas na Huíla explicou que além de fornecer água às moradias que antigamente já beneficiavam do preciso líquido, se efectuaram novas ligações a 200 residências. “Isto é, para nós, motivo de satisfação, particularmente para o caso do Cuvango, por ser uma vila grande e a sua população voltou a ver água a jorrar nas torneiras, 20 anos depois”, disse.
A distribuição de água em grande parte do município está assegurada, mas, mesmo assim, decorre a abertura de mais furos para o abastecimento às populações dos bairros circundantes.
Estão em fase de execução as ligações domiciliares, a partir da estação de tratamento e captação de água no rio Cuvango, onde foi colocado um tanque com capacidade de 60 metros cúbicos hora. Foram instalados 20 quilómetros de rede, entre adutoras e linhas de distribuição. Pretende-se, com isso, ter uma relação comercial menos conflituosa com os consumidores, instalando medidores de água.
 


Saúde com melhorias
 


O administrador do Cuvango assegurou que as condições de assistência médica e medicamentosa vão melhorar significativamente no próximo ano, com a entrada em funcionamento de novos postos de saúde que estão a ser construídos na sede municipal, comuna de Galangue e Vicungo. Foram já construídas três novas unidades sanitárias, uma na sede comunal de Galangue, outra no quilómetro 50 e a última na aldeia de Chicunho, segundo o administrador municipal.
João Hilifilua especificou que as obras foram executadas no quadro do Programa de Investimentos Públicos (PIP), do governo provincial da Huíla, do biénio 2009-2010.
O administrador municipal salientou que o sistema de serviço de saúde municipal permite o fornecimento gratuito de medicamentos aos pacientes.
As doenças mais frequentes na localidade são as respiratórias agudas, a malária e diarreicas agudas. A dificuldade da mobilidade dos doentes das aldeias para o centro de saúde, do município de Cuvango, na província da Huíla, deixou de constituir problema, com a entrega na passada semana de uma ambulância às autoridades locais.
Doado pela Fundação GAUFF, a ambulância do tipo Unimog, foi entregue pelo governador provincial da Huíla, Isaac Maria dos Anjos, ao administrador municipal do Cuvango, João Hilifilua. A ambulância está equipada com aparelhos de oxigénio, quatro macas, três aspiradores médicos e bombas de aspiração. Tem ainda desfibriladores, entre outros acessórios para socorro médico. O responsável municipal de saúde do Cuvango, Marcelino Alcaide, referiu que o município possui uma extensão territorial de 93.­680 quilómetros quadrados com uma população estimada em 93.­099 e a mobilidade de doentes era feita com muita dificuldade.
 “A ambulância está equipada para todas as intervenções da municipalização. Vamos conseguir atingir os 100 quilómetros até ao município da Matala, onde está localizada a unidade hospitalar de referência para os casos complicados”, concluiu o responsável.

Tempo

Multimédia