Economia

15 milhões de euros no comércio bilateraL

Madalena José *

As trocas comerciais entre Angola e a Ucrânia atingiram, em 2016, mais de 15 milhões de euros (2,8 mil milhões de kwanzas), um valor considerado na terça-feira baixo pelo secretário de Estado da Agricultura, Carlos Alberto Jaime.

Secretário de Estado da Agricultura (esquerda) e a vice-ministra ucraniana estabelecem novos negócios nas conversações
Fotografia: Lino Guimarães |ANGOP

“O intercâmbio comercial entre os dois países ainda é muito baixo. Entretanto, agora abre-se uma nova página de desenvolvimento não só do ponto de vista político, mas também comercial, e temos de aproveitar todas as oportunidades”, afirmou ontem o secretário de Estado da Agricultura no final do encontro com a vice-ministra dos Assuntos de Integração Europeia do Ministério da Política Agrária e de Alimentação da Ucrânia, Olga Trofímtseva.
Angola e a Ucrânia têm vigentes acordos de cooperação nos domínios da agricultura, formação técnico-profissional e entre os Serviços de Veterinária de Angola e os seus congéneres ucranianos.
O Ministério da Agricultura, anunciou o secretário de Estado, pretende estabelecer uma cooperação mais forte na comercialização de medicamentos de uso veterinário e criar uma câmara de comércio e indústria entre os dois países.
Carlos Alberto Jaime revelou um projecto de exportação de café, madeira e outros produtos agrícolas de elevado valor para a Ucrânia.
“Poderão ser exportados dois produtos para que a balança comercial entre os dois países seja mais equilibrada”, disse o secretário de Estado, apontando também a importação mão-de-obra e de alguns produtos ucranianos como frangos e cereais.
Além disso, Angola considera importante que alguns projectos no domínio da agricultura possam ser desenvolvidos em Angola, com recurso a financiamento ucraniano e em parceria com empresas angolanas, disse Carlos Alberto Jaime.
A vice-ministra ucraniana sublinhou que os encontros mantidos apontam para uma cooperação no domínio da construção de maquinaria, naval e de silos para conservação dos produtos agrícolas.
A Ucrânia mostrou-se também interessada em ver no seu mercado empresas angolanas ligadas à produção de café e de frutas.
A produção agrícola da Ucrânia inclui o trigo, cevada, centeio, milho, beterraba, algodão, batata e legumes. Na indústria, têm como referência produtos metálicos e construções mecânicas, enquanto na indústria mineira é apontada a produção de ferro, carvão, manganês, petróleo e gás natural.
A delegação da ucraniana visitou as instalações da Câmara do Comércio e Indústria de Angola para troca de impressões e reforçar a cooperação empresarial.
Olga Trofimtseva pediu que a cooperação bilateral seja impulsionada pela troca de missões empresariais e o fomento da participação em feiras e noutros eventos nos dois países, com o apoio das câmaras de comércio.

Câmaras de comério
O vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria da Ucrânia, Seguei Svystil, realçou o facto de haver um protocolo de cooperação rubricado entre as duas câmaras de Comércio e Indústria e manifestou interesse em identificar importadores de frango no país.
Seguei Svystil solicitou esclarecimentos sobre a possibilidade de Angola exportar para Ucrânia,  a eventualidade de uma missão empresarial angolana visitar a Ucrânia, informação sobre a realização das feiras e a participação de empresas em feiras e exposições na Ucrânia, procedimentos para obter vistos de trabalho em Angola e para instalação de empresas do país europeu.
Em resposta, o secretário da Câmara de Comércio e Indústria e Indústria de Angola, António Tiago Gomes, informou sobre o actual ambiente de negócios no país, a estratégia de diversificação económica e os sectores prioritários como a agricultura, agro-indústria, pescas e indústria transformadora.
A delegação foi ainda aconselhada a ter em conta o país no seu todo como mercado para investimentos, uma vez que é do interesse nacional promover o desenvolvimento de todo o território, além de uma espécie de porta de entrada para Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), um mercado que corresponde a mais de 200 milhões de consumidores.
A Câmara de Comércio e Indústria e Indústria de Angola assumiu o compromisso de conseguir informação sobre as feiras, procedimentos para obter vistos e instalação de empresas.
    * com a Angop

Tempo

Multimédia