Economia

400 mil euros para apoiar acções em Mbanza Kongo

Manuel Albano

O Ministério da Cultura e a Embaixada de França em Angola, em parceria com a petrolífera Total, assinaram sexta-feira, em Luanda, um acordo de financiamento de 400 mil euros para a implementação de acções no âmbito do Plano de Gestão do Centro Histórico de Mbanza Kongo - Património Cultural da Humanidade, no Zaire, e do Palácio de Ferro, em Luanda.

Responsáveis da Cultura, da Embaixada francesa e da petrolífera Total durante a assinatura do acordo
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

Numa primeira fase, o acordo estabelece a realização, em dois anos, de trabalhos de recuperação do Museu dos Reis do Kongo, Centro de Pesquisa e produção de documentários sobre a cidade antiga de Mbanza Kongo e recuperação da Biblioteca Municipal.

Quanto ao Palácio de Ferro, o acordo privilegia a preservação e manutenção da estrutura do edifício e reprogramação de actividades culturais nas áreas de espectáculos musicais, encenação teatral, exposições de artes plásticas, promoção do artesanato e do livro e da leitura.
As partes acordaram, também, realizar programas de superação, promoção de actividades e intercâmbio, envolvendo outros agentes culturais e mecenas, com o objectivo de promover actividades culturais e artísticas de Angola e de França.
Os acordos foram assinados pelo secretário de Estado da Cultura, Aguinaldo Cristóvão, pelo conselheiro para a Cooperação e Acção Cultural da Embaixada de França, Thierry Valentin, pelo director-geral da Total, Olivier Jouny, e, ainda, pela directora-geral do Instituto Nacional do Património Cultural, Cecília Gourgel.
Assistiram ao acto de assinatura do acordo a ministra da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, e o embaixador de França, Sylvain Itté. A ministra da Cultura destacou, na ocasião, a importância do acordo na preservação do património histórico e cultural do país.
Pelo valor histórico do Palácio de Ferro e do Centro Histórico de Mbanza Kongo, disse, são locais que devem ser melhor aproveitados para dinamizar as actividades artísticas e servirem de fontes de pesquisa da sociedade académica e historiadores.
O embaixador de França, Sylvain Itté, garantiu todo o apoio, uma vez que o seu país acompanhou a proposta para a elevação de Mbanza Kongo como património da humanidade. “O seu reconhecimento acarreta histórias entre outros povos, como Congo e o Gabão, que resplandecem até à Europa”, sublinhou.
O Palácio de Ferro, em Luanda, é uma obra de autoria do engenheiro francês Gustave Eiffel, conhecido mundialmente pela construção da famosa Torre Eiffel, em Paris, e da Estátua da Liberdade, em Nova Iorque.

Tempo

Multimédia