Economia

Academia de Pescas com novos cursos

Manuel de Sousa |

A Academia de Pescas e Ciências do Mar do Namibe conta, a partir deste ano, com os cursos de electrotécnica industrial e oceanografia, bem como introduz cinco laboratórios específicos para  iniciar a investigação científica, anunciou quinta-feira, ao Jornal de Angola, coordenadora da comissão de gestão da instituição.

Academia tem potencial para atrair estudantes da SADC
Fotografia: Afonso Costa | Edições Novembro

Cármen Van-Dúnem acrescentou que, nesse período, a Academia, instalada em Moçâmedes, inicia o primeiro programa de agregação pedagógica dos docentes e aprova um novo estatuto para a nomeação de todo o corpo de gestão da instituição.
Desde 2016, quando arrancou, a academia funcionou apenas com dois laboratórios - de química e física e de ciências básicas -, pelo que a abertura de outros representa um ganho para a instituição.
“A criação de mais laboratórios vem dar mais consistência à formação e o processo de implementação de todos os programas vai conhecer maior dinamismo com a nomeação do corpo de gestão e a abertura de todas as áreas”, sublinhou a coordenadora, que lamentou a fraca divulgação da especificidade pedagógica da instituição, o que condiciona a adesão de estudantes de outros países, sobretudo da SADC. Cármen Van-Dúnem referiu que a academia vai privilegiar também o início de projectos com as universidades Agostinho Neto e Mandume ya Ndemufayo, bem organizações locais, na investigação específica em laboratórios.
Referiu que um lar para 120 estudantes e residências para os docentes são inaugurados nesse período, o que não aconteceu até agora por “questões de estruturação interna, como o recrutamento de pessoal e a adopção do regulamento interno”.
Para este ano lectivo, a Academia de Pescas e Ciências do Mar do Namibe, que conta com 70 professores, tem disponíveis 480 vagas para as faculdades de Pesca e Navegação, Processamento de Pescado e a de Exploração dos Recursos Aquáticos.

Tempo

Multimédia