Economia

Aeroporto do Soyo pode ser encerrado

O Aeroporto “Comandante Ndozi”, na cidade do Soyo, província do Zaire, pode deixar de receber aeronaves de médio e grande porte, a qualquer momento, por insegurança na pista, que ficou descoberta com a danificação da rede de vedação.

Animais domésticos acedem à pista por falta de vedação
Fotografia: Samy Manuel | Edições Novembro

A hipótese foi aventada pelo director nacional para a Área de Infra-estruturas da Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea (Enana-EP), Joaquim Oli Jabila, num encontro em Mbanza Congo, na segunda-feira, com agentes aeroportuários.
No encontro em que participaram, também, membros dos órgãos de defesa e ordem interna e autoridades tradicionais, o responsável explicou que os animais domésticos tomaram conta da pista do aeroporto local, em consequência da vandalização da rede de vedação por meliantes.
A medida a ser imposta pelo Instituto Nacional da Aviação Civil (Inavic), segundo Joaquim Oli Jabila, poderá ser extensiva ao Aeroporto “Maria Mambo Café”, na cidade de Cabinda, por razões similares. A decisão, de acordo com o responsável, poderá ser ponderada, caso sejam repostas as medidas de segurança nas duas infra-estruturas aeroportuárias, prometendo que equipas técnicas do Inavic vão, nos próximos dias, deslocar-se às duas localidades para uma avaliação minuciosa da situação.
“Os aeroportos do Soyo e de Cabinda apresentam muitas irregularidades em termos de segurança, o que representa um grande perigo à navegação aérea”, justificou. Com uma pista de 2.100 metros de comprimento e 45 de largura, o Aeroporto do Soyo, segundo a Angop, registou recentemente três incidentes, sem registo de vítimas humanas.
O primeiro tratou-se de um despiste de um avião ligeiro do tipo PA-31 da empresa privada Mavewa, em Julho de 2016. O segundo envolveu uma aeronave Boeing 737-700 das Linhas Aéreas de Angola (TAAG), em Abril de 2017.
O terceiro incidente consistiu no embate de uma aeronave do tipo B-1900 da companhia Sonair contra um animal do-méstico no momento de aterragem, em Setembro de 2018.

Tempo

Multimédia