Economia

Amadeu Nunes apela ao espírito de competição empresarial

Leonor Mabiala |Cabinda

O secretário de Estado do Comércio, Amadeu Leitão Nunes, chamou atenção dos empresários angolanos, em Cabinda, para a necessidade de aumentarem a sua capacidade produtiva e melhorarem a qualidade dos produtos, para competirem de igual para igual com países da região da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

Amadeu Leitão Nunes falava no final de um seminário sobre o processo de adesão de Angola à Zona de Comércio Livre Continental e na SADC, dirigido aos em-presários locais, com o objectivo de os esclarecer sobre as causas que levaram Angola a aderir à mais  recente zona de comércio livre do mundo.
Cabinda é uma região que possui uma capacidade agrícola reconhecida, mas além da madeira é necessário que haja um trabalho de interacção entre as associações empresariais, a fim de se apurar a sua real capacidade de produção, disse Amadeu Leitão Nunes, para acrescentar: “Quando se faz co-mércio, o primeiro aspecto a ter em conta é a conquista do mercado e, no caso de Cabinda, um mercado jovem, encravado entre duas zonas importantes da África Austral e Central, há interesses de outros países entrarem e conquistar espaço.”
Amadeu Leitão Nunes disse não haver razões para preocupações em relação à adesão de Angola à Zona de Comércio Livre Continental, porque o processo é negocial e a sua implementação vai durar algum tempo.
O representante comercial de Angola na África do Sul e negociador principal de Angola no processo de ade-são à Zona Livre Continental Africana, Videira Pedro, falou das “negociações sobre a zona de comércio livre continental africano” e insistiu na necessidade de os empresários angolanos se organizarem para tirarem o maior proveito do novo espaço de comércio livre.

Tempo

Multimédia