Economia

Ambriz aposta na pesca e agricultura

Pedro Bica| Ambriz

Apesar de ter reservas de petróleo e madeira, o Ambriz está a desenvolver a actividade agrícola e piscatória, pelo potencial de crescimento que tem e para aumentar os níveis de emprego e rendimento familiar, afirmou sexta-feira a administradora municipal em declarações ao Jornal de Angola.

Projecto piscatório tem o patrocínio da empresa de prestação de serviços Petromar
Fotografia: AFP



Joana Cabunde anunciou o lançamento do projecto piscatório “Alegria do Ambriz”, que conta com o patrocínio da empresa de prestação de serviços “Petromar”,e outro agrícola, implantado numa área de cinco mil hectares da localidade de Kianda dia Vata com apoio do Ministério da Família e Promoção da Mulher.
O município do Ambriz está situado a 127 quilómetros de Caxito  (Bengo) tem uma população estimada em 20 mil habitantes que se dedicamà pesca e à agricultura.
Os dois projectos vão beneficiar 150 famílias, cem na sede municipal e 50 na comuna do Tabi, afirmou a administradora municipal.O projecto pesqueiro visa dar dignidade aos pescadores e vendedores através da construção, já em fase final, de um mercado do peixe com cem bancadas, câmaras frigoríficas e uma área administrativa.
O mesmo acontece com o projecto agrícola, para o qual está identificado o local em que será edificado um ponto de  transferência de produtos e no qual vai funcionar a loja do Programa de Aquisição de Produtos Agro-Pecuários (PAPAGRO), onde estarão disponíveis meios de conservação e uma agência móvel do Banco de Poupança e Crédito (BPC).
A administradora anunciou também um programa de parceria entre o Ministério da Família e Promoção da Mulher e a Associação Industrial de Angola(AIA) para a concessão de créditos bancários e barcos de pesca a associações e cooperativas.
Neste momento, a região do Ambriz tem inscritos 125 pescadores, enquadrados numa cooperativa que aguarda por novos barcos e outros incentivos do Executivo e de parceiros para aumentarem os níveis de captura, afirmou Joana Cabunde.
O Ambriz tem também projectos para o desenvolvimento da actividade turística, embora a vila só tenha um hotel com capacidade para alojar 22 hóspedes, um restaurante e uma pousada com vista panorâmica para o mar.
A estratégia de Joana Cabunde é de atrair capital para o potencial económico gerado pela natureza e a geografia do município, que tem praias que “oferecem a qualquer turista ou visitante excelentes condições de lazer, sossego e a prática de surf, bem como uma imponente beleza paisagística”.
A actividade principal da população do Ambriz é a pesca, verificando-se também a presença da agricultura. No passado, Ambriz tinha uma plataforma de óleo e gás pertencente à Petromar, destruída em 1992. Possui também um pequeno porto e um aeroporto.

Tempo

Multimédia