Economia

Angola aspira subir 15 lugares até 2022

Xavier António

O ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Mendes dos Santos disse ontem, em Luanda, que Angola tem como meta subir 15 lugares no ranking do Doing Business até 2022, em linha com o Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN), depois de ter alcançado indicadores negativos em 2019.

Ministro Sérgio Santos
Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

Sérgio Santos fez estas declarações durante o seminário “Doing Business 2020 - Melhoria do ambiente de negócios”, realizado pelo Ministério da Economia e Planeamento e o Banco Mundial (BM), durante o que reconheceu que há um conjunto de processos que precisam de ser melhorados para se atingir aquela meta, com destaque para o funcionamento da Janela Única do Comércio Externo (JUCE) o mais rápido possível.
Anunciou que o pelouro vai promover encontros periódicos com a classe empresarial para reflectirem sobre as questões de melhoria do ambiente de negócios no país.

Atracção de investimento
O representante residente do BM em Angola, Oliver Lambert, considerou “ambicioso” o facto de Angola pretender subir 15 lugares até, 2022, no ranking do Doing Business, o prevê que vai permitir posicionar o país no “mapa do mundo” no domínio da atracção de investimento externo.
“Melhorar o ambiente de negócios é difícil porque inclui instituições e processos de organização do Estado, que pressupõe que mudanças de atitude, assim como envolve o melhoramento de aspectos da micro economia”, disse o responsável, sublinhado a necessidade de liderança e coordenação forte. Angola ocupou a posição 177 no ranking de 2019, menos quatro pontos que em 2018.

Tempo

Multimédia