Economia

Angola na reunião do Processo Kimberley

Natacha Roberto

Uma delegação angolana participa, desde ontem, numa Reunião de Intercessão do Processo Kimberley que decorre até sexta-feira, em Mumbai, na Índia, onde é avaliada a ampliação da definição de Diamantes de Conflito.

Fotografia: DR

A comitiva é dirigida pelo coordenador da Comissão Nacional do Processo Kimberley, Paulo Mvika, e o administrador da Endiama, Laureano Paulo, que participam em encontros que visam contribuir para uma nova abordagem da organização e a compra de diamantes de origem semi-industrial e artesanal.
Delegados de vários países membros vão, também, avaliar o sistema de certificação de diamantes, a criação do secretariado permanente e a instituição de um fundo de doadores para apoiar os países com menos recursos.
Face aos novos desafios, a Comissão Nacional do Processo Kimberley tem como perspectiva, para este ano, finalizar os instrumentos jurídicos, o estatuto e regulamento interno da organização.
O Sistema de Certificação do Processo Kimberley é um órgão das Nações Unidas, que trabalha na prevenção de conflitos relacionados com o uso abusivo dos diamantes e a violação sistemática dos Direitos Humanos nas comunidades e regiões onde são extraídos.
Angola é membro fundador da Processo Kimberley, que tem a Índia na presidência rotativa. O encontro junta mais de 200 delegados, dos 82 membros do Processo Kimberley, de acordo com dados fornecidos aos Jornal de Angola pela Comissão Nacional do Processo Kimberley.

 

Tempo

Multimédia