Economia

Angola prepara mapa de roteiros turísticos

Venâncio Victor e Francisco Curingana | Malanje

O desafio de fazer o turismo em Angola uma fonte de receitas e geradoras  de postos de trabalho foi apontado pela ministra da Hotelaria e Turismo, Ângela Bragança, como sendo uma das apostas do Executivo, que tem depositado no sector a responsabilidade de o dinamizar.

Malanje precisa resolver a acomodação compatível às possibilidades dos locais turísticos
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

A governante, que falava na abertura da conferência internacional sobre ecoturismo e informação ambiental, que decorreu nas Quedas de Calandula, disse que, para tal, urge a necessidade de o ministério trabalhar em coordenação com outros departamentos ministeriais, organizações, associações, operadores turísticos e o sector privado com vocação para o efeito.
A ministra Ângela Bragança lembrou que o país é detentor de imensos recursos naturais, históricos, cultural e de outra natureza que constituem património de uma riqueza incomensurável, que devem ser valorizados e dimensionados na óptica da atracção turística.
De acordo com a ministra, a  riqueza de uma diversidade biológica faz do ecoturismo uma vertente forte para devolver, através do uso racional e sustentável dos recursos naturais a que favorecem a sua conservação e ao mesmo tempo o bem-estar das populações locais.
A ministra Ângela Bragança disse ser muito forte a tendência crescente do ecoturismo no mundo, atraindo um grupo específico de turistas amantes da natureza, cuja motivação é a observação e apreciação dos factores ambientais, como a fauna, flora de toda biodiversidade que tornam os países africanos como destino turístico ímpar, como é o caso de Angola, onde a parte sul patenteia toda beleza da fauna e flora, como bem se pode perceber em Okavango.
Ao intervir no acto, o governador de Malanje, Norberto dos Santos, disse que o seu pelouro está disponível para acolher investidores nacionais e estrangeiros, pois, como referiu, é cada vez maior o número de turistas que visitam Malanje e que precisam encontrar a acomodação compatível às suas possibilidades, assim como os serviços de apoio ao turismo.
O administrador de Calandula, Pedro Dembue, disse que o momento vivido vai impulsionar o turismo, visto que a região tem vários locais turísticos, como as Quedas de Musselege, Mbango a Nzenza e Acatualango, entre outros que se associam ao ecoturismo e que, aos finais de semana, recebem mais de 200 turistas.
O especialista do Ministério do Turismo, Pedro Lisboa, disse que o turismo no país representa 10 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) e gerando muitos postos de trabalho.
O embaixador da Espanha, Manuel Hernandez, reiterou o compromisso de o seu país apoiar Angola no domínio da preservação da biodiversidade e o fomento do turismo, de forma a acatar o pedido do Executivo para a diversificação da economia.

Tempo

Multimédia