Economia

Anúncio de privatizações coloca sindicato em alerta

O presidente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores Bancários de Angola (SNEBA), Filipe Makengo Segundo, advertiu na sexta-feira, em Luanda, que a eventual privatização dos dois principais bancos públicos, o BPC e o BCI, pode despoletar uma acção de despedimentos em massa entre os trabalhadores do sector.

BCI está entre os bancos que podem vir a ser privatizados
Fotografia: DR

O responsável, que falava na cerimónia de empossamento dos novos quadros de direcção do SNEBA, disse que os anúncios que apontam para a eventualidade de privatização dos bancos públicos e, consequentemente, o despedimento de pessoal, estão a causar intranquilidade no seio dos trabalhadores bancários.
“A banca comercial, pública e privada, absorve um capital humano considerável e face à situação actual não se pode, de ânimo leve, ouvir falar do despedimento sem que haja uma certa preocupação, pois o sindicato não quer que se crie um exército de desempregados”, salientou.
Filipe Makengo Segundo lembrou que o encerramento dos bancos Mais, Postal e Banc, ditado recentemente pelo Banco Nacional, por não cumprimento dos requisitos legais mínimos vigentes no sistema financeiro angolano, redundou no despedimento de pessoal. No global, disse, “estamos a falar de mais de 600 trabalhadores”.
Foram empossados para o cargo de presidente da nova direcção do SNEBA Filipe Makengo, para o de vice-presidente, Carlos José Júlio Cunha.

Tempo

Multimédia