Economia

Arrecadações fiscais com ligeiro aumento

Domingos Calucipa | Ondjiva

A Delegação Provincial das Finanças do Cunene registou, em 2017, um ligeiro aumento das receitas, ao arrecadar para os cofres do Estado 14.452.762.818 kwanzas, contra os 14.002.829.273 do ano anterior.

Crescimento da colecta é proporcional à evolução de Ondjiva
Fotografia: Edições Novembro


A diferença nesse aumento foi de 449.933.545 kwanzas, quando o valor total arrecadado revela-se bastante aquém dos 22.471.269.447 kwanzas inicialmente previstos pela instituição para o ano de 2017, atingindo apenas o correspondente a 64,32 por cento do prognosticado.
A área aduaneira aparece como a que mais contribuiu para o Tesouro Nacional, tendo cobrado 13.691.480.649 kwanzas, enquanto a Repartição Fiscal de Ondjiva arrecadou 682.371.596 kwanzas e a do Xangongo 78.910.573 kwanzas.
O delegado provincial das Finanças do Cunene disse que na origem do fraco desempenho da província esteve a queda das importações causada pela escassez de divisas no país.
César Lucas assinalou que, no ano passado, a província recebeu um financiamento orçamental de 27.328.109.926 kwanzas, sendo o sector da educação e o Hospital Geral de Ondjiva os que mais absorveram recursos, com valores situados acima dos oito mil milhões de kwanzas.
O responsável da Finanças destacou a necessidade de se elaborarem propostas com vista ao alargamento da base tributária e ao aumento da receita fiscal, através da previsão, fiscalização e repressão das infracções de natureza financeira.
Os contribuintes da Repartição Fiscal do Cuanhama, Cunene, estiveram cerca de duas semanas com dificuldades para pagar os impostos e outros compromissos fiscais, devido a limitações na operação do Sistema Integrado de Gestão Tributária (SIGT).

Tempo

Multimédia