Economia

Auditores propõem soluções estratégicas em Angola

Natacha Roberto

As soluções estratégicas que garantam melhorias na auditoria interna em Angola foram apresentadas, recentemente, em Luanda, durante a conferência anual sobre “Tendências e a Relevância da Auditoria Interna em Angola”, organizada pelo Instituto dos Auditores Internos de Angola em parceria com o Standard Bank de Angola.

Presidente do Instituto dos Auditores Internos, Ladislau Ventura
Fotografia: DR

O presidente do Instituto dos Auditores Internos, Ladislau Ventura, considerou “importante” o investimento dos quadros no conhecimento, devido à escassez de recursos em novas estratégias, decisivos para responder aos imperativos actuais da profissão.“É crucial que os profissionais abandonem a zona de conforto e invistam em recursos financeiros e tempo, fora das necessidades correntes para ganhar mais conhecimentos e adequarem-se aos novos desafios”, disse Ladislau Ventura.

A directora de controlo interno do Standard Bank, Carol Conrado, destacou a partilha de conhecimentos com especialistas da área de auditoria, com executivos dos bancos e membros do Gover-no, notando que a conferência visou divulgar as normas universais para prática profissional de auditoria interna. Carol Conrado disse ser necessário que as empresas tenham uma auditoria forte, para ga-rantir a estabilidade e manutenção do negócio de forma sustentável. Explicou que o Standard Bank, internamente, trabalha com três “linhas de defesa”: Auditoria interna, Unidades de Negócio e a Di-recção de Risco.
O Standard Bank de Angola possui uma rede 19 agências, três Centros de Empresa, três postos de atendimento e duas "esuites private", além de dependências em Cabinda, Luanda, Cuanza-Sul, Benguela, Huíla, Huambo e Namibe.

Tempo

Multimédia