Economia

Aviário perde num dia 32 milhões de kwanzas

Os prejuízos financeiros causados ao Complexo Avícola de Oipembe, no Cunene, com a morte no domingo de 16.000 galinhas, em consequência da seca, rondam em 32 milhões de kwanzas, revelou ontem o proprietário.

Fotografia: DR

O aviário, que produz 23 mil e 800 ovos por dia, funciona desde Dezembro de 2018, fruto de um financiamento do extinto Programa Angola Investe, no valor de um milhão e 500 mil dólares norte-americanos.
Em declarações à Angop, o proprietário do aviário, Hermenegildo Leite, disse que o empreendimento consome 30 mil litros de água por dia, sendo 10 mil para dar de beber às aves e 20 mil para o sistema de arrefecimento da nave. />“Estamos com escassez de água há 15 dias, porque a fonte de água que abastecia o aviário secou, situação agravada com avaria registada na conduta de água entre o Xangongo e Ondjiva, que inviabiliza a compra de água em camiões cisternas”, informou.
Localizado em Oipembe, a 9 quilómetros de Ondjiva, o aviário, único empreendimento do género na província, emprega 29 trabalhadores.

Tempo

Multimédia