Economia

Renúncia no Banco Mundial causa receios entre analistas

A renúncia do presidente do Banco Mundial (BM), Jim Yong Kim, na segunda-feira, tende a dar ao Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, uma enorme influência sobre as decisões de crédito ao desenvolvimento, pondo de parte os países que têm sido críticos em relação à sua Administração.

Fotografia: DR

Num artigo publicado a seguir ao anúncio da renúncia, a agência francesa de notícias AFP considera que, depois de transformar a Presidência dos Estados Unidos, as alianças tradicionais, as relações comerciais e o Tribunal Supremo, o Presidente norte-americano pode ter agora a oportunidade de influenciar uma instituição capital da engrenagem internacional, sobretudo no acesso de países como a China a empréstimos preferenciais.

Tempo

Multimédia