Economia

Banco Mundial aberto ao sector privado angolano

A Corporação Financeira Internacional (IFC, sigla inglesa), uma filiada do Banco Mundial especializada no financiamento de projectos de desenvolvimento do sector privado, abriu sexta-feira um escritório em Angola, declarando o projecto de fazer crescer a carteira de investimentos dos actuais 111 milhões de dólares.

Fotografia: Dr

O vice-presidente da IFC para o Médio Oriente e África, Sérgio Pimenta, afirmou que, com a implantação no país, há maior disponibilidade da agência para apoiar as empresas locais, “saber o que elas precisam e como podemos apoiá-las”.
A IFC já identificou várias áreas com mais potencial para o investimento privado, entre os quais o sector agro-alimentar, indicou Sérgio Pimenta, considerando que as dificuldades como o acesso ao mercado, fertilizantes e sementes podem ser solucionadas por financiamento directo ao sector agrícola ou por intermédio de bancos.
Como segunda área, foi identificado o sector da logística, sobretudo a nível dos portos e dos transportes, mas também o potencial turístico está na mira da IFC.
Sérgio Pimenta salientou que a presença em África “é muito importante e é a área estratégica mais importante” para a IFC.
A ministra das Finanças, Vera Daves, participou na inauguração, tendo sublinhado que a presença da IFC em Angola vai “ajudar o país a diversificar a economia e a cultivar um sector privado dinâmico”, que ajudará a criar empregos e a “fomentar um crescimento sustentável”.
A abertura do escritório foi abordada no final de Setembro, em Nova Iorque, entre o Presidente João Lourenço e o do Grupo Banco Mundial, David Malpass, no decurso de uma audiência concedida pelo Chefe de Estado angolano.

Tempo

Multimédia