Economia

Banco Mundial avalia reformas económicas

O vice-presidente do Banco Mundial (BM) para África, Hafez Ghanem, inicia hoje uma visita de três dias a Angola para se inteirar dos efeitos das reformas económicas em curso no país.

Fotografia: DR

Pela primeira vez de visita a Angola, Hafez Ghanem, na qualidade de responsável máximo do BM a nível regional, vai constatar a evolução da implementação da carteira de projectos financiados pela instituição de Bretton Woods.
Durante a sua estada no país, Hafez Ghanem mantém encontro com o Presidente da República, João Lourenço, refere em comunicado a representação desta instituição financeira em Angola, citada pela Angop.
O programa prevê, ainda, uma reunião com a equipa económica liderada pelo ministro do Estado da Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, que vai falar sobre o programa de estabilização macroeconómica e a reforma económica em curso.
Encontros separados com alguns ministros, cujos sectores trabalham para as temáticas do desenvolvimento do capital humano e da economia digital, também constam do programa do vice-presidente do Banco Mundial para África.
Um almoço com mulheres líderes dos sectores públicos e da sociedade civil para abordar a temática sobre o empoderamento económico e social da mulher em Angola é outro assunto em agenda.
Hafez Ghanem realiza uma visita ao Huambo, onde vai manter encontros com os membros do governo provincial.
No Huambo, Hafez Ghanem reúne-se com técnicos de implementação e alguns beneficiários dos projectos financiados pelo Banco Mundial na agricultura, educação, águas e desenvolvimento local. De nacionalidade egípcia e francesa, Hafez Ghanem é vice-presidente do Banco Mundial para a Região de África desde 1 de Julho de 2018.
Hafez Ghanem é especialista em desenvolvimento com mais de 30 anos de experiência, estando hoje na liderança de uma carteira regional activa composta por mais de 600 projectos orçados em 71 mil milhões de dólares.
Antes da sua nomeação como vice-presidente para a região africana, Ghanem desempenhou as mesmas funções, mas para a região do Oriente Médio e Norte de África. De 2015 a 2018 supervisionou o envolvimento do Banco Mundial em 20 países.
Em Julho do ano passado, o BM assinou com o Governo angolano dois acordos de fi-nanciamento, no valor total de 280 milhões de dólares, para apoiar projectos nos sectores da agricultura e águas.

Tempo

Multimédia