Economia

Bancos aprovam 8.412 milhões em financiamentos para o PAC

Cristóvão Neto

Sete projectos avaliados em 8.412 milhões de kwanzas foram aprovados pelos bancos subscritores do Programa de Apoio ao Crédito (PAC), instituído em Junho como braço financeiro do Programa de Apoio às Exportações e Substituição das Importações (Prodesi).

BIC e BCI aprovaram desembolsos a favor de projectos do sectores da agricultura e da indústria em cinco províncias
Fotografia: DR

A informação foi produzida a 9 de Outubro, numa reunião entre organismos institucionais e bancos envolvidos no programa, consultores e o Grupo Técnico Empresarial (GTE), dando conta que os projectos aprovados representam uma porção dos 64 pedidos de financiamento submetidos, totalizando 17.581 milhões de kwanzas.
Os números, obtidos pelo Jornal de Angola de documentos do Ministério da Economia e Planeamento, indicam que o Standard Bank Angola (SBA) recebeu 17 pedidos de financiamento, BIC 15, Atlântico 13, BAI 12, BCI quatro e o BNI duas solicitações de financiamento.
As solicitações enviadas ao BIC perfazem os maiores volumes, cifrando-se em 32.847 milhões de kwanzas, situando-se em 32.188 milhões no SBA, 20.228 milhões no BAI, 29.312 milhões no BNI, 17.483 no Atlântico, 1.172 milhões no BCI e 1.527 no BCH.
O BIC aprovou três projectos avaliados em 7.329 milhões de kwanzas e o BCI quatro cifrados em 1.172 milhões, em que cinco são referentes a empreendimentos do sector da agricultura e dois ao da indústria.
Dois dos sete projectos estão localizados em Luanda e igual número no Cuanza-Sul, enquanto a Huíla, Malanje e Uíge figuram nesses financiamentos com um projecto cada.
A reunião em que esses dados foram analisados contou com representantes do Ministério da Economia e Planeamento, Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), Fundo de Garantia de Crédito (FGC), Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), as Empresas de Consultoria FazGest, Agropromotora e Uranus, quatro bancos comerciais subscritores do PAC (BAI, BFA, BMA e BCH) e o GTE.
Os participantes decidiram que, até ao final de Dezembro, o Ministério da Economia e Planeamento, INAPEM e as áreas comerciais dos bancos subscritores ao PAC realizem visitas a empresas nas 18 províncias, promovendo a apresentação de projectos aos bancos.
O PAC conta com a adesão de oito bancos em financiamentos previstos de 141 mil milhões de kwanzas, este primeiro ano, a empresas que decidam dedicar-se à produção de 54 bens com potencial de gerar uma oferta que leve à redução das importações.O BDA e o FGC dão prioridade aos operadores económicos que já produzam alguns dos 54 produtos e que pretendam expandir a actividade, enquanto a inclusão das de consultoria visa absorver contribuições especializadas para a elaboração dos projectos, o que acontece pela primeira vez desde que há iniciativas institucionais de financiamento.

Tempo

Multimédia