Economia

BCI acata normas do banco central

O Banco de Comércio e Indústria (BCI) vai submeter-se incondicionalmente quando a um instrutivo do BNA determinar o fim da cobrança de comissões e despesas sobre as operações e serviços mínimos, declarou ontem ao Jornal de Angola o presidente do conselho de administração daquela instituição financeira.

Presidente do conselho de administração, Filomeno Ceita
Fotografia: Dombele Bernardo|Edições Novembro

Filomeno Ceita declarou que o banco aguarda por um instrutivo que regule essa matéria para deixar de cobrar as comissões e acrescentou que o conselho de administração do BCI tem, como traço fundamental da sua conduta, a observação estrita das normas emanadas do Banco Nacional de Angola (BNA).
Isso acontece em relação aos instrutivos, despachos e avisos ligados à supervisão prudencial e comportamental, regime cambial, combate ao branqueamento de capitais e do financiamento do terrorismo, para apenas citar alguns exemplos. Recentemente, o BNA proibiu que os bancos comerciais cobrem por quaisquer serviços achados mínimos, desde a abertura de contas, manutenção, concessão de multicaixas, cheques e transferências interbancárias, assim como a cobrança por transferências bancárias entre contas da mesma instituição, algo também observado pelo BCI.
Filomeno Ceita frisou o firme compromisso do conselho de administração manter o BCI do topo da conformidade legal, por via a observação das normas do BNA. O Conselho de Ministros analisou quarta-feira, em Luanda, medidas de um Novo Quadro Operacional para a política monetária, um conjunto de avisos que persegue a proibição da cobrança de comissões e despesas em moeda estrangeira na comercialização de produtos financeiros, ao mesmo tempo que define os serviços mínimos bancários e as suas isenções.
O Novo Quadro Operacional para a política monetária estabelece, também, um aumento do capital social mínimo dos bancos, em medidas que se seguem à eliminação dos cativos em moeda nacional como condição prévia para compra de moeda estrangeira, algo que Filomeno Ceita declarou que o BCI cumpriu integralmente.

Tempo

Multimédia