Economia

Bengo foi a província mais cara em Dezembro

As províncias do Bengo com 2,83 por cento, Cuando Cubango com 2,58 e Huambo com 2,50 foram, no mês de Dezembro, as que registaram o maior aumento de preços.

O custo dos alimentos nas superfícies comerciais continua a mostrar forte tendência de alta
Fotografia: M Machangogo | Edições Novembro

A menor variação foi observada na Lunda-Sul e Bié com 1,49 por cento cada e no Namibe com 1,57, respectivamente.
De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN) registou uma variação de 1,91 por cento, durante o período de Novembro a Dezembro. No relatório publicado esta semana na sua página de Internet, o INE apresenta a classe “Bebidas Alcoólicas e Tabaco” com 2,64 como a que registou o maior aumento de preços.
Contudo, destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Hotéis, Cafés e Restaurantes” com 2,37, “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” com 2,31 e “Vestuário e Calçado” com 2,10 por cento.
A variação homóloga situou-se em 16,90 por cento, registando um decréscimo de 1,70 pontos percentuais com relação a observada em igual período do ano anterior.
A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 1,07 pontos percentuais durante o mês de Dezembro.

Tempo

Multimédia