Economia

Benguela: INADEC apreende toneladas de arroz por má conservação

Ana Paulo

O Instituto Nacional de Defesa do Consumidor ( INADEC) apreendeu quatro mil quilos de arroz, na província de Benguela, que estavam a ser comercializados em mau estado de conservação.

A nível nacional, o Inadec efectuou 139 visitas de constatação a diversos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviç
Fotografia: DR

O arroz de marca Lucas, segundo informou o INADEC, vem empacotado em sacos de um quilo e acomodado em embalagens de 10 unidades. Em declarações ao Jornal de Angola, o chefe dos serviços provinciais do INADEC em Benguela, Manuel Furtado, disse que o produto foi detectado no âmbitoda  campanha de prevenção à especulação de preços, face à pandemia de Covid-19, que a instituição realiza.

Manuel Furtado, disse que, altura da apreensão, era visível, a olho nu, a presença de micro organismos no interior dos pacotes, o que denunciava o mau estado de conservação. Ainda assim, prosseguiu, o INADEC recolheu amostras para testes laboratoriais e participou o caso aos Serviços de Investigação Criminal ( SIC), que também fezeram colheitas de amostra para testes laboratoriais. 

A mercadoria, disse, pertence à empresa Eleonor Carinho, em cujos estabelecimentos foi encontrado. Ainda na província de Benguela, o INADEC confiscou mais de 100 caixas de mascarás de protecção contra o Coronavírus, com 20 unidades cada, que estavam a ser comercializas a preços especulativos.  Manuel Furtado disse que os produtos farmacêuticos foram encontrados em cinco depósitos de medicamentos, sedeados no Lobito. 

Segundo Manuel Furtado, a caixinha, que anteriormente era vendida por valores que oscilavam entre 1.800 e 2.000 kwanzas, estava a ser comercializada a preços que iam de sete a 12 mil kwanzas. De 16 de Março a 2 de Abril, o INADEC visitou, em Benguela, 70 estabelecimentos do ramo alimentar e farmacêutico, tendo apreendido 275 sacos de açúcar molhado e com mal cheiro, pertencente à firma comercial "Zara Trading”, 40 mil pacotes de farinha de trigo e 100 latas de atum das marcas Manty e Sonho dos Oceanos, também por mau estado de conservação.

Serviços de fiscalização

A nível nacional, a instituição efectuou 139 visitas de constatação a diversos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, que culminaram com o registo de 74 infracções, 19 apreensões de produtos diversos por má conservação e por especulação de preços, uma colheita de amostra, uma acção de inutilização e 56 de aconselhamentos. Em Luanda, o INADEC identificou 40 estabelecimento comerciais, que praticavam preços especulativos, situação também observada, em maior ou menor escala, nas demais províncias.

Tempo

Multimédia