Economia

BNA admite a existência de deficiências e fragilidades no BPC

Relativamente ao arrombo dos 400 milhões de kwanzas do banco público BPC, o governador do BNA disse estar “muito preocupado quando fraudes desta magnitude ocorrem no sistema financeiro nacional”.

Fotografia: DR

José de Lima Massano admitiu que o BPC tem um conjunto de deficiências e fragilidades, embora recentemente tenha adoptado um programa de reestruturação com ênfase no controlo interno.

O governador disse que a acção de supervisão do BNA sobre o BPC tem se mantido com a mesma intensidade. No ano passado, o BNA conduziu uma avaliação da qualidade dos activos da banca e o BPC reprovou no teste. “A nossa orientação sobre o controlo interno é que o BPC precisa acelerar a implementação de medidas que protejam melhor os activos que tem à sua guarda”, afirmou Lima Massano.

Tempo

Multimédia