Economia

Central Ecológica de Laúca operacional no próximo ano

Eduardo Cunha|Malanje

Uma central ecológica incorporada na Barragem Hidroeléctrica de Laúca entra em operação no primeiro semestre do próximo ano, anunciou domingo um responsável técnico do projecto a peritos do Fundo Monetário Internacional(FMI) e do Ministério das Finanças, em Malanje.

Fotografia: JA IMAGENS

O FMI tem acordos com o Governo relacionados com a edificação as barragens de Laúca e Caculo Cabaça, disse o vice-governador de Malanje Domingos Eduardo durante uma visita realizada pelos peritos àquela província.

A Barragem de Laúca está implantada na província de Malanje, enquanto a de Caculo Cabaça que está a ser edificada no Cuanza-Norte, esta, à luz de uma linha de crédito da China avaliada em 4,5 mil milhões de dólares.
As informações prestadas aos peritos confirmam a previsão da entrada em operação da central ecológica da Barragem Hidroeléctrica de Laúca, com capacidade de 70 megawatts (MW), elevando a potência disponível para 2 070 MW.
Laúca dispõe de uma central hídrica com seis grupos geradores de 334 MW cada, quatro dos quais estão em funcionamento desde Agosto de 2017 com uma potência disponível de 1 334 MW.
O director do Aproveitamento Hidroeléctrico de Ca-culo Cabaça, Augusto Chico, referiu que, de momento, de-correm os trabalhos preliminares para a construção da barragem, ao que se segue a escavação da central, uma caverna e um túnel.
A obra tem a duração de 80 meses, para gerar uma capacidade total e 2 172 MW, correspondendo a duas centrais: uma principal de 2 120 MW e uma outra unidade que vai produzir uma potência de 52 MW.
Max Alier, representante residente do FMI, disse que a deslocação da missão do FMI visou avaliar as obras de impacto em curso em Angola, com particular realce para aquelas regiões.

Tempo

Multimédia