Economia

Cidade do Sumbe tem nova agência do BIC

Carlos Bastos

O banco BIC conta agora com uma rede constituída por 227 agências, com a abertura ontem, na periferia da cidade do Sumbe, província do Cuanza-Sul, do balcão do Chingo, no âmbito do seu programa de expansão dos seus serviços e de apoio ao desenvolvimento das comunidades.

BIC continua a ser a maior rede de bancos privados do país
Fotografia: Carlos Bastos

Construída de raiz por um período de seis meses, a agência bancária é a segunda da cidade do Sumbe, que se junta a 11 outros balcões espalhadas pelos municípios e que criou seis postos de trabalho directos.
O presidente do Conselho de Administração do BIC, Fernando Teles, notou que o plano de expansão da instituição conheceu uma estagnação nos últimos tempos, devido a crise financeira que assola o país. “Vamos continuar a trabalhar no sentido de materializar os planos preconizados e a abertura desta agência surge num período em que o banco se encontra a realizar poucas redes bancárias em Angola”, disse.
De acordo com Fernando Teles, apesar dos constrangimentos, o BIC continua a ser a maior rede de bancos privados do país. O bancário apontou como apostas para breve a abertura de mais agências nas centralidades do Sequele e na circunscrição de Cacuaco, ambas na província de Luanda, além de criar uma companhia de seguro, um centro médico para os trabalhadores e outro para sinistros para os que beneficiam de serviços de seguros do banco BIC.
O presidente do conselho do banco BIC referiu que o Cuanza-Sul é a província de Angola com maiores projectos do banco, fundamentalmente nas áreas da agricultura, pecuária e comércio. “Incentivamos sempre os nossos clientes no sentido de aumentarem os seus programas no ramo da agricultura e pecuária, sobretudo aqueles que estão habituados a fazer e têm condições mínimas para o fomento da produção”, sublinhou. Para a análise sobre a viabilidade dos projectos, Fernando Teles sublinhou que o Banco BIC criou uma direcção encarregue para tornar exequíveis as propostas remetidas à instituição para financiamento.
O governador do Cuanza-Sul, Eusébio de Brito Teixeira, louvou a iniciativa do banco BIC “pela acutilância demonstrada na implantação de mais agência na província”, pois, afirmou, “estamos satisfeitos, porque isto aproxima os serviços às comunidades”.

Tempo

Multimédia