Economia

Colheitas promissoras na próxima campanha

O país pode registar uma boa campanha agrícola na época 2017/2018, que arranca no próximo mês, fruto das condições criadas pelo Governo e a disponibilidade das famílias camponesas.

Agricultores estão a responder aos desafios de diversificação
Fotografia: Edições Novembro

O prognóstico é do secretário de Estado da Agricultura, José Amaro Tati, em declarações prestadas na quarta-feira, na cidade do Huambo, no termo da uma visita de trabalho iniciada no dia anterior.
José Amaro Tati disse que o Governo se empenhou ao máximo para facilitar o acesso das famílias camponesas aos fertilizantes, sementes e instrumentos de trabalho, para haver mais produtividade.
A intenção das autoridades, segundo o governante, é fazer com que a época agrícola 2017/2018 contribua para a diversificação da economia nacional e a auto-suficiência alimentar.
“Queremos com o aumento da produção agrícola, que o país reduza a dependência da produção petrolífera. Está em curso a preparação da abertura da campanha agrícola, com a colocação no terreno de vários ‘inputs’ para o sucesso da época e terá um acompanhamento sistemático dos técnicos agrários afectos ao Ministério da Agricultura”, destacou.
José Amaro Tati espera que, na próxima campanha agrícola, o Instituto de Investigação Agronómica possa a ter um papel relevante no alcance dos níveis desejados de produtividade.
O secretário de Estado afirmou que a produção agrícola, sem investigação científica, é deficiente em qualidade e produtividade, sendo este um dos desafios a superar no país.
A província do Huambo está desenvolver o projecto de produção de trigo desde o princípio deste ano, no município da Chicala-Cholohanga.
Desde 2015 que a administração local começou a estimular os camponeses a cultivar este cereal, mais de 350 famílias já tiveram resultados satisfatórios .

Tempo

Multimédia