Economia

Comerciantes alugam alvarás a estrangeiros

Arão Martins | Lubango

Grande parte dos detentores de estabelecimentos e alvarás comerciais na cidade do Lubango continua a trespassar o documento, favorecendo negociantes estrangeiros, algo que ficou provado com o desenrolar da “Operação Resgate” na província da Huíla.

O director provincial do Comércio, Indústria e Recursos Minerais na Huíla, Manuel Machado Quilende, declarou ao Jornal de Angola que se verificou, ao longo da operação, que grande parte dos estabelecimentos comerciais não funcionam por falta de condições financeiras dos proprietários, que resolvem o assunto alugando alvarás e estabelecimentos comerciais a estrangeiros.
Em consequência disso, o Gabinete Provincial de Comércio, Indústria e Recursos Minerais emitiu uma circular na qual “exige aos detentores de alvarás trespassados,  para procederem ao licenciamento dos seus estabelecimentos em nome próprio ou por meio de contrato, com um prazo de 60 dias.”
A Huíla tem cadastrados 3.101 estabelecimentos comerciais de pequena, média e grande superfície, distribuídos nos 14 municípios da província.

Tempo

Multimédia