Economia

Comércio livre regional arranca em Agosto

Ana Paulo

O ministro do Comércio, Joffre Van Dúnem, afirmou ontem, em Luanda, que a adesão de Angola à Zona de Comércio Livre (ZCL) da SADC deve acontecer nos próximos meses.

Depois de muita indecisão, 2019 pode ser um marco para a integração regional
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

“Acredito que, em Agosto, vamos aprovar a adesão de facto e o início do desmantelamento das taxas”, frisou.

O governante, que falava à imprensa no regresso da conferência Concordia África, que aconteceu no dia 28 de Fevereiro, em Londres, já tinha anunciado que Angola está a preparar duas taxas diferentes, uma para a África do Sul, que considera estar num estágio de desenvolvimento mais avançado, e outra para os restantes países da região da SADC.
Este processo prevê a protecção de determinados produtos considerados fundamentais e levará dez anos até à sua conclusão.
No caso de Angola trata-se de mais de cinco mil artigos incluídos na pauta aduaneira. “Na ZCL da SADC teremos uma percentagem de produtos que, numa primeira fase, serão excluídos de direitos aduaneiros. Mas não teremos apenas produtos de exclusão como também de protecção", explicou o ministro do Comércio.

Reformas económicas

Em relação às reformas económicas em Angola, Joffre Van Dúnem disse que a nova Pauta Aduaneira permite aderir à Zona de Comércio Livre (ZCL) da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).
Angola reafirmou, na conferência Concordia África Initiative, o reforço das reformas na luta contra a corrupção, diversificação da economia e maior abertura ao investimento privado.
Em declarações à imprensa no regresso ao país, Joffre Van Dúnem disse que destacou no fórum a nova lei de investimento privado, as oportunidades de negócio disponíveis e a reforma económica liderada pelo Governo. “O investimento privado é de grande importância para Angola porque tem o potencial de alavancar a diversificação da economia, o crescimento económico, a criação de empregos, a inclusão social e a geração de oportunidades para a juventude.”
Outro tema analisado na conferência foi a cooperação entre Angola e o Reino Unido, no sentido de incrementar o investimento fora do sector de Petróleo e Gás.
Para o ministro do Comércio, é necessário investir nos sectores da Agricultura, Indústria, Turismo, infra-estruturas , Educação e Saúde.
“O novo paradigma do Governo veio para atrair o investimento privado e diversificar a economia nacional, facilitando assim as trocas comerciais entre países parceiros”, sublinhou Joffre Van Dúnem.

Angola e Portugal

As relações comerciais entre Angola e Portugal continuam favoráveis e Portugal situa-se entre os três primeiros parceiros comerciais de Angola.
Joffre Van Dúnem disse que a cooperação entre Angola e Portugal, independentemente dos laços que unem os dois países, pode ser reforçada com a implementação de empresas privadas, tendo em conta a nova Lei de Investimento Privado.
O ministro garantiu que as portas estão abertas para o empresariado português, que dispõe de condições económicas , sendo o objectivo do país apostar na diversificação da economia.
Nesta fase, os sectores da Saúde e Educação são os sectores com mais potencial para desenvolver. “Nas outras áreas temos uma cooperação contínua. Penso que a vinda do Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, vai reforçar as relações comerciais entre os dois países”, disse Joffre Van Dúnem.

Tempo

Multimédia