Economia

Corte no orçamento altera as prioridades

Matias da Costa | Cuito

A verba do Orçamento o Geral do Estado (OGE) aprovada para o Bié, no presente exercício económico, é de cerca de 60.981 milhões de kwanzas, menos 30 por cento que o inicialmente previsto, anunciou na sexta-feira o governador provincial na 4ª Reunião Técnica entre o Governo e as Administrações Municipais.

Governador do Bié adverte para corte nas despesas públicas
Fotografia: Edson Fabrízio | Edições Novembro | Cuito

Pereira Alfredo advertiu que a redução requer uma redefinição das acções projectadas para este ano, com realce para as que recaem sobre a edificação de infra-estruturas, com as despesas a estarem sujeitas apenas “ao indispensável”.

Com a redução, a Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia passa a dispor de uma previsão de despesa de 16.940 milhões de kwanzas, seguida do Governo Provincial com uma fatia de 14.335 milhões.
As administrações municipais de Camacupa, Catabola, Chinguar, Chitembo, Cuemba, Cunhinga e Nharea vão absorver valores superiores a mil milhões de kwanzas, enquanto o Cuito, a capital da província, dispõe de três mil milhões e o Hospital Geral do Bié e o município do Andulo de dois mil milhões.
Segundo o governador, as obras projectadas para a edificação de escolas, postos médicos e infra-estruturas rodoviárias ficam condicionadas, mas deve manter-se o princípio de conferir mais atenção aos sectores da Educação, assistência médica e medicamentosa e ao Programa de Combate à Fome e Redução da Pobreza.
O administrador municipal do Cuito, Avis Vieira, considerou que, com o novo quadro macro-económico da província, recai sobre os responsáveis públicos uma gestão mais cuidada.
Avis Vieira disse que a construção das salas de aula para mais de 20 mil crianças que se encontram fora do sistema de ensino é uma prioridade do seu mandato.

Tempo

Multimédia