Economia

Criadores estão satisfeitos com o apoio do Executivo

Arão Martins | Lubango

Os criadores de gado estão satisfeitos com o apoio do Executivo para a construção, na Huíla, de um matadouro e infra-estruturas de assistência técnica nos vários domínios da produção e comercialização de carne, reconheceu o presidente da Cooperativa dos Criadores de Gado do Sul de Angola, Luís Nunes, ao discursar na abertura da 15ª Feira Agropecuária daquela província, que decorre desde ontem no Lubango, no âmbito das Festas de Nossa Senhora do Monte.

Criadores de gado do sul de Angola e o governador da Huíla (centro) na feira do Lubango
Fotografia: Arão Martins | Edições Novembro | Lubango

Luís Nunes considerou importante a iniciativa do Executivo de criar um programa de fomento e requalificação do gado no Sul do país, para o que já foi assinado um protocolo com o Governo Provincial da Huíla, que tem como objectivo a melhoria genética da produção pecuária na região sul. “A construção do matadouro, tantas vezes reclamado, durante anos consecutivos, a ser concretizada, vai constituir uma mais-valia para a economia da região sul e satisfazer um dos anseios mais aguardados”, disse.
O programa do Executivo tem ainda como objectivo possibilitar a produção de bovinos com maior índice de crescimento e de rentabilidade, assim como melhorar a qualidade da carne a ser comercializada.
O presidente da cooperativa manifestou a disponibilidade dos associados de trabalharem com o Executivo para implementar programas que visam desenvolver a economia do país.
Para Luís Nunes, a produção interna é necessária para diminuir os valores gastos em divisas na importação de carne, cabendo à direcção da Cooperativa disciplinar a produção  para gerar mais rentabilidade nas explorações agropecuárias.
Luís Nunes, que é também conselheiro do Presidente da República para a região sul, destacou que é necessário um maior investimento público no sector, que deve ser assegurado pelo Governo, para que os resultados das empresas e dos criadores de gado sejam efectivos e contribuam para o crescimento da economia nacional.

Maior rebanho no sul
O governador provincial da Huíla, Marcelino Tyipinge, indicou que a região sul - que abarca as províncias da Huíla, Namibe, Cunene e Cuando Cubango - detém o maior rebanho de gado de Angola e uma agricultura sofisticada.
O governador, que identificou os problemas comuns que afectam os produtores, garantiu aos agricultores e criadores tradicionais mais apoio para melhorar o acesso à água e o abastecimento regular de vacinas. “Pensamos que, para inverter esta questão das vacinas e fertilizantes, a solução consiste em produzir no país”, defendeu.
Considerou que o processo de desenvolvimento do sector pecuário deve ter a participação de novos quadros e jovens formados na área.
O embaixador da Polónia em Angola, Piotr Mysliwiec, destacou o potencial da região sul na produção pecuária e lembrou que Angola e a Polónia estão a dinamizar a cooperação no domínio  agrícola. “Existe a ideia de criar uma fazenda modelo na Huíla, com mecanização de alta tecnologia, que poderá contribuir para a produção de alimentos em grande escala no país”, disse.
Disse ainda que foram rubricados acordos bilaterais entre os dois países para a construção de um hospital e uma zona económica especial na província do Lubango.
O governador provincial do Namibe, Carlos da Rocha Cruz, afirmou que a maior parte do gado que a província possui está no sector tradicional. “A experiência que a Huíla tem na introdução e criação de raças melhoradas aumenta a qualidade da carne a ser comercializada localmente”, disse.

Roubo de gado

O governador provincial do Namibe defendeu ainda um trabalho aturado com as autoridades tradicionais, com vista a diminuir ou estancar casos de roubo de gado bo-vino na região e defendeu mais diálogo para se evitar conflitos relacionados com o abeberamento.
O governador do Bié, Boavida Neto, que esteve na cerimónia de abertura da 15ª Feira Agropecuária na Huíla, considerou importante atrair mais investidores para au-mentar o número de produtores de gado. “A Huíla, Cu-
nene e Namibe têm boa experiência, mas sempre que viemos para cá, mesmo nesse período de crise económica, há sempre novidade, sobretudo a vontade que as pessoas têm de manter-se em actividade”, disse.
A abertura da feira contou com a participação do secretário do Presidente da República para o sector Produtivo, Isaac dos Anjos, bem como os governadores do Bié, Na-mibe e da Huíla.
Trinta e oito fazendeiros associados expõem 200 cabeças de várias raças no certame, que decorre até domingo, quando é realizado um leilão de 300 bovinos.

Tempo

Multimédia