Economia

Desalfandegamento expedito em análise

A implementação da Janela Única do Comércio Externo, que permite o cruzamento de informações e a redução do tempo de desalfandegamento de bens e serviços, é discutida hoje, em Luanda, num seminário promovido pela Administração Geral Tributária (AGT) e o Ministério do Comércio.

Fotografia: DR

Uma nota enviada ontem ao Jornal de Angola pela AGT anuncia que a introdução da Janela Única está prevista para 2021, pelo que os operadores que intervêm na cadeia do comércio externo passam a dispor de declarações e despachos aduaneiros padronizados, de forma a cumprirem as exigências regulamentares referentes à importação, exportação e trânsito de mercadorias. 

A nível macro-económico, refere a nota, a implementação da Janela Única visa potenciar a atracção de investimento privado, melhorar o ambiente de negócios e promover o desenvolvimento sustentável do país.

Desde 2001, diz a nota,  que estão a ser desenvolvidos esforços pela AGT (na altura designada Serviço Nacional das Alfândegas) para a implementação da Janela Única do Comércio Externo. 

O seminário tem como orador o perito com experiência internacional reconhecida em abordagens do conceito da Janela Única do Comércio, Jonathan Koh. 

De acordo com o “Doing Business”, um ranking sobre o ambiente de negócios produzido pelo Banco Mundial, Angola figura entre os países mais demorados em procedimentos de importação e exportação em todo o Mundo, ocupando a posição 174 entre 190 países.

Participam no encontro quadros dos Ministérios das Finanças, Comércio, Transportes, Agricultura e Florestas, Pescas e Mar, Saúde, Recursos Minerais e Petróleos, Banco Nacional de Angola e operadores económicos.

 

Tempo

Multimédia