Economia

Digitalização da banca no “novo normal” foi debatida

Kátia Ramos

Sob o mote “Digital, o novo normal da Banca: desafios em tempo de mudança”, a empresa de tecnologia Asseco PST realizou, ontem, uma conferência virtual dirigida aos profissionais da banca.

Fotografia: DR

A tecnológica, especializada no desenvolvimento de software financeiro, está presente em países como Angola, Timor-Leste, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Portugal, tendo congregado "players" destes países, visando disponibilizar conhecimentos assentes nas realidades locais.

 Sobre as consequências da pandemia da Covid-19 e as mudanças provocadas na vida quotidiana desde Março, foi unânime entre os oradores de que elas condicionaram, fortemente, qualquer estratégia ou plano de execução também no sector financeiro.

Um bom exemplo citado é o facto de os canais digitais estarem, neste momento, no centro do negócio bancário. De canais complementares, passaram a vias preferenciais de interacção com os clientes. Para o administrador da Asseco PST, José Nunes, o futuro passou a ser hoje e os programas de transformação digital na banca, com uma execução prevista em anos, passaram a ter o objectivo de serem executados em meses.

Conforme defende, dentro desta não opção, porque não foi uma opção, os bancos mantêm a necessidade de se diferenciarem. "Acreditamos que esta diferenciação pode vir da resposta de cada entidade bancária a três questões principais: conveniência, personalização e segurança”, disse.

Tempo

Multimédia