Economia

Divulgação dos termos contratuais é iminente

Leonel Kassana

O Instituto de Estradas de Angola (INEA) tem iminente a divulgação dos cadernos de encargos para os estudos de empreitada de seis programas de mobilidade de pessoas e bens para os quais existem fundos orçamentais disponíveis, de acordo com documentos oficiais a que o Jornal de Angola teve acesso.

O troço entre Malanje e Saurimo, na Lunda-Sul, é um dos principais a ser reabilitado
Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

Os programas estão alinhados com o Plano de De-senvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022, no qual está estabelecida a construção, reabilitação e requalificação de estradas pavimentadas em todo o território nacional. 
Numa descrição das em-preitadas é apontada a Es-trada Nacional 230, entre Malanje e Saurimo, para onde estão previstas intervenções em cinco lotes de 616 quilómetros, o primeiro com 85 quilómetros, de acordo com os documentos. 
A intervenção nessa rota para o Leste de Angola abran-ge os troços de Catombo às pontes sobre os rios Cacuílo, Tô e Pêzo, passando pelas localidades de Bundo, Cangongo e Cangola e abarca também a circular da ci-dade de Saurimo, de 60 quilómetros.

Estradas em terra
Na lista de contratos para a elaboração de estudos e projectos está incluída a abertura e extensão de estradas em terra para viabilizar as ligações com as diferentes localidades, algumas das quais conhecidas pelo seu potencial agrícola, mas com o escoamento da produção dificultado pelo estado avançado de degradação.
O estudo para um troço de 69 quilómetros da Estrada Nacional 120, entre Cuvelai, no Cunene, e Cassinga, na Huíla, vai a concurso, o que também deve acontecer com o troço daquela localidade à Jamba, numa extensão de 49 quilómetros.
O concurso pretende também um estudo para a im-plantação de uma estrada em terra batida com 73 quilómetros entre a vila do Cuvango e Cassinga.
Para a Estrada Nacional 100, na província de Cabinda, o INE requer a elaboração de estudos para a construção de uma estrada com 44 quilómetros em terra batida entre Buco-Zau e Belize.
O INEA vai assinar contratos para estudos de empreitada de 685 quilómetros de estradas , que incluem a ligação entre Leua, Chafinda e Lucusse, no Moxico, outra de 128 quilómetros entre Quilengues e Dindi, na Huíla, além de uma ligação de 63 quilómetros entre Camucuio e Chingo, no Namibe.
Outros estudos visam o estabelecimento de ligações de 40 quilómetros entre a Aldeia Viçosa, Cambamba e Vista Alegre (Uíge), bem como Jungue e Santo Agostinho (Cuanza-Sul), o percurso de 38 quilómetros de Cassai a Sacufa e Machingo (Lunda- Sul), a rota de 37 quilómetros entre Malanje e Quimbamba-Ngola, Luije e Kiwaba Nzoji, e de Lulendo a Nóqui (Zaire), com 35 quilómetros.
Na sexta-feira, o Ministério da Construção e Obras Públicas anunciou, num encontro com empresas do sector, que existem 180 projectos para licitação este ano, 23 dos quais com financiamento garantido, sobretudo ligados à recuperação de estradas.

Tempo

Multimédia