Economia

Educação financeira beneficia 300 mil

Ana Paulo

O Projecto de Inserção de Conteúdos de Literacia Financeira no Sistema de Ensino, co-participado entre o Banco Nacional de Angola (BNA) e o Ministério da Educação, envolveu cerca de 300 mil alunos da sétima à 12ª classe em 2017, anunciou ontem, em Luanda, o governador do banco central.

Governador do BNA (centro) apoia projecto de literacia
Fotografia: Agostinho Narciso | EDIÇÕES NOVEMBRO

José de Lima Massano, que falava no acto de abertura da “Semana Global do Dinheiro”, afirmou que o BNA e o Ministério da Educação formaram , desde 2011, quando iniciou o projecto, três mil professores, tornando-os capazes de introduzir conteúdos de literacia financeira no ensino de matérias curriculares como a Matemática, Língua Portuguesa, História, Francês e Inglês.
No domínio da educação financeira, prosseguiu o governador, o BNA liderou a introdução de contas “Banquita”, depósitos simplificados e baseados em conceitos de inclusão financeira que permitem aos cidadãos nacionais acederem aos serviços bancários e financeiros com custos mínimos.
De acordo com o director de Departamento de Educação Financeira do BNA, Avelino dos Santos, só no ano passado, foram abertas 555 mil contas banquitas à ordem, o que disse significar que, em Angola, “o conceito de poupança não está na crise”.
A preocupação das autoridades angolanas com a aplicação deste projecto, tem tanto o pendor de educação, quanto o de inclusão financeira, destacou o governador do BNA na abertura da “Sema-na Global do Dinheiro”, que decorre até domingo.
A “Semana Global do Di-nheiro” - um acontecimento destinado às crianças - está instituída em todo o mundo desde 2012, sendo assinalada em Angola pela primeira vez, este ano, de acordo com informações obtidas pelo Jornal de Angola.
O acontecimento envolve 140 países, 34 dos quais africanos, com destaque para os cinco Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), apurou o Jornal de Angola no local.

Tempo

Multimédia