Economia

Electrificação do país apresentada no Lobito

Jesus Silva| Lobito

O projecto de execução, fornecimento e condicionamento das instalações integrantes da rede eléctrica da província de Benguela, que vai abranger os municípios sede, Lobito e Baía Farta, está orçado em 30 milhões de dólares e foi lançado, na última semana, na cidade do Lobito pelo ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.

A moderna subestação da Quileva, no município do Lobito
Fotografia: Jesus Silva | Edições Novembro| Lobito

O projecto visa melhorar o fornecimento de energia eléctrica e de água potável em função do crescimento demográfico que se regista, sobretudo nas cidades do litoral. “É um projecto importante para a província e é evidente que Benguela precisa de mais projectos de electrificação, porque todos nós podemos constatar o crescimento populacional que esta região regista, como em todas as sedes provinciais”, salientou.
João Baptista Borges, adiantou que todos temos de reconhecer que num período de fortes restrições orçamentais como o que vivemos, mobilizar 30 milhões de dólares para realizar um projecto de electrificação já é de todo va-lioso. Para o ministro, hoje o que se sente é a falta de viabilidade na exploração da rede. As linhas são muito antigas, os isoladores estão deteriorados e este projecto vai ajudar a conferir essa viabilidade e fazer com que a energia tenha maior regularidade.
“Este projecto não é uma acção isolada, pois, estamos no fundo a caminhar no sentido da electrificação, mas, também no transporte de energia entre Cambambe e o Lobito”, assegurou.
Na ocasião, o director da Energia e Águas de Benguela, Baptista José Assis, sublinhou que o projecto vai trazer muitas vantagens para a província. “A cidade do Lobito cresceu significativamente e a subestação que suporta toda a carga do casco urbano ainda é do período colonial e a potência lá instalada já não é suficiente para suportar a procura, principalmente, do centro da urbe”, considerou.
Baptista José Assis referiu que é com esse objectivo que se vai construir uma nova subestação na área adjacente do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB), para suportar a crescente procura por energia que se regista na cidade. Após a sua chegada, a comitiva chefiada pelo ministro da Energia e Águas deslocou-se ao município do Bocoio, onde constatou o andamento dos projectos em curso no sector das águas e da barragem hí-drica e térmica do Biópio, além da curta passagem pela subestação da Quileva, no município do Lobito.

Tempo

Multimédia