Economia

Empresa Kikovo reduz oferta de ovos

António Eugénio

A produção de ovos na empresa Kikovo, em Luanda, que já chegou a mais de um milhão por dia, caiu para 650 mil, representando uma quebra de quase 50 por cento.

Fotografia: DR

A administradora da Fazenda Pérola do Kikuxi, do grupo empresarial Diside, Elizabeth dos Santos, avançou que a impossibilidade de importação de genéticas, vacinas e o adiamento na entrada de recreias, estiveram na base da quebra produtiva. Elizabeth dos Santos afirmou que, para reverter o quadro, está em curso um programa, que passa pelo repovoamento das 12 naves existentes, cada uma com capacidade para albergar 130 mil aves poedeiras.

A partir do mês de Setembro, a fazenda deve já estar em condições de produzir mais de um milhão de ovos por dia, garantindo, desta forma os níveis produtivos definidos no arranque do projecto, disse. A gestora afirmou que para garantir a produtividade, em função do plano de contingência adoptada, 225 trabalhadores, dos 550 que a fazenda possui, asseguram a produção.

Elizabeth dos Santos alertou ainda que, apesar da queda da produção, a Kikovo mantém o preço do ovo praticada anteriormente e atribui a responsabilidade aos agentes revendedores pela subida de preços. “Se existirem revendedores que tenham subido os preços, não sucede por terem passado a comprar mais caro, pois, os nossos preços de venda mantêm-se inalterados”, assumiu.

A gestora lembrou que há sete anos foram investidos 60 milhões de dólares para o arranque do projecto e 80 por cento do financiamento já foi devolvido. Estima-se que, a partir do próximo ano, o grupo termine por liquidar a dívida.

Peixe

Relativamente ao negócio do pescado, a fonte adiantou que a Solmar está numa fase de reestruturação que vai alterar toda a dinâmica da empresa. No novo formato, disse, a produção vai incidir em 15 toneladas de processamento de pescado por dia. Com os investimentos acautelados, em curso está um estudo que tende aumenta5r a produção para 90 toneladas dia. “Só aproveitamos as oportunidades da crise para a melhoraria contínua da estratégia e contar com parceiros certos”, sustentou. Também em curso estão novas estratégias a adaptar, à medida que evolui a pandemia do novo coronavírus.

Tempo

Multimédia