Economia

Empresa precisa de 500 camiões para expandir oferta de serviços

Edivaldo Cristóvão

A Unicargas necessita de pelo menos 500 camiões para garantir um serviço mais célere e eficaz em todo o país. Neste momento, a empresa trabalha com 104 meios de transporte que operam nas províncias de Luanda, Cabinda, Moxico e Benguela.

Presidente do Conselho de Administração da Unicargas
Fotografia: Agostinho Narciso |?Edições Novembro

O presidente do Conselho de Administração da Unicargas, Celso Rosas, que concedeu estas informações ao Jornal de Angola, acrescentou que a expansão da empresa para todo o país depende da disponibilidade de meios técnicos e anunciou que, neste momento, há 104 camiões avariados com a empresa a tentar recuperar metade, além de ter em perspectiva a renovação da frota com cem unidades ainda este ano.
O PCA da Unicargas referiu que, de acordo com o plano de negócios para 2019, a empresa vai abrir delegações nas províncias de Malanje, Zaire e Cunene.
A Unicargas procura conquistar novos clientes a nível da exploração rodoviária, aumentar a produtividade a nível do porto, atendendo mais navios e atender mais clientes no terminal de cargas da Catumbela, em Benguela, com o objectivo de contribuir para o desenvolvimento e crescimento económico do país.
Durante o segundo encontro de quadros realizado recentemente em Luanda, a Unicargas anunciou uma facturação de cinco mil milhões de kwanzas entre Janeiro e Dezembro de 2018, o que representa um aumento de 66 por cento face a 2017, quando tinha registado uma receita de três mil milhões de kwanzas.
Hoje, a empresa apresenta-se como um operador de transporte integrado e, para além de assegurar a transportação de cargas, dedica-se à actividade transitária e de exploração de um terminal portuário e marítimo, bem como de um aeroportuário de carga.
Com 741 trabalhadores, a Administração da Unicargas tenta definir de forma conceptual qual é a dimensão da mão-de-obra adequada para a empresa.

Tempo

Multimédia