Economia

Empresa descarta água imprópria

A empresa Bom Jesus anunciou para os próximos dias a destruição de 1.512 caixas de água de mesa do lote 311, considerada imprópria para o consumo pela Inspecção Geral do Ministério da Saúde.

Fotografia: DR

Trata-se, segundo a Angop, de um  lote com as especificações 311 1136, 311 1056, 311 0955, 311 0855, 311 0755, com data de validade até 7 de Novembro de 2019.
Esse produto foi proibido pela Inspecção Geral do Ministério da Saúde, na semana finda, por não reunir os parâmetros de qualidade.
Em declarações à Angop, fonte da empresa revelou que as análises foram feitas a pedido da firma. Explicou que o lote afectado corresponde a uma produção de nove paletes de água de 0,33 litros, num total de 1.512 caixas de garrafas 4x3, que não chegaram a sair da fábrica.
O produto, sublinhou, já se encontrava em “quarentena”, nas instalações da empresa, antes da saída da circular do Ministério da Saúde, tendo sido isolado e totalmente controlado pelo Departamento de Qualidade.
Na análise do lote 311, do formato 0,33 lt, acrescentou, um dos parâmetros deu negativo, o que suscitou suspeitas e  levou a empresa a solicitar a repetição das análises num outro laboratório, também acreditado. />Tratou-se, de acordo com a fonte, de uma “medida rotineira, enquadrada no plano de qualidade e controlo, cujo protocolo prevê o confronto periódico dos resultados obtidos pelo laboratório interno, com controlo horário das características físico-químicas e organolépticas, e bidiárias, das características microbiológicas com pelo menos um laboratório externo e acreditado para o efeito.”
As análises de confrontação, esclareceu, ocorrem simultaneamente e quando se envia um lote para análise externa ainda não são conhecidos os resultados do laboratório interno da fábrica, de acordo com os parâmetros internacionais e as recomendações da Organização Mundial de Saúde.
A unidade de processamento de água “Bom Jesus” existe há 17 anos no mercado angolano, conta com pelo menos 100 trabalhadores e tem em vista o aumento da capacidade de produção de água. A unidade fabril angolana de produção de água mineral está localizada no município de Icolo e Bengo.

Tempo

Multimédia