Economia

Empresários nacionais contra as barreiras

Madalena José

Angola participou, na segunda e terça-feira, numa reunião do conselho de administração do Centro de Negócios Estados Unidos África, realizada na África do Sul, para identificar as medidas que permitirão remover as barreiras ao investimento dos Estados Unidos no continente.

Bons negócios passam por remoção de obstáculos
Fotografia: DR

A reunião também visou alargar a base de membros da organização às micro, pequenas e médias empresas, de modo a disseminar parcerias, conhecimento, financiamento e tecnologia dos EUA em África e apresentar um calendário de acções para 2018-2019.
O presidente da Câmara de Comércio dos Estados em Angola (AmCham-Angola), Pedro Godinho, disse em declarações ao Jornal de Angola que a reunião definiu uma posição estratégica que vai ao encontro dos interesses dos dois continentes .
“As empresa norte-americanas e africanas apresentaram, no encontro, as inquietações e sugestões que ajudam a melhorar as relações, uma vez que, à medida em que o tempo passa, foram identificados alguns avanços e impedimentos”, afirmou.
Terça-feira, os membros do Centro de Negócios Estados Unidos-África foram recebidos pelo Presidente Ciryl Ramaphosa e por uma delegação do Governo sul-africano, tendo, depois, acompanhado a celebração do centenário de Nelson Mandela, onde o momento mais elevado foi o discurso do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.
Proclamada a 23 de Agosto de 2017, a Amcham-Angola foi a última a ser instituída no continente, tendo como associadas as empresas Chevron, Exxon Mobil, BP, Lonagro (representante da John Deere em Angola), Coca-Cola Company e outros.
A AmCham-Angola tem como presidente a empresa angolana Prodiaman Oil Services, representada por Pedro Godinho , tendo como vice-presidente a GE Angola, liderada pelo angolano Wilson da Costa.

Tempo

Multimédia