Economia

Empresários chineses procuram mercado

Graciete Mayer |

Uma delegação de empresários da cidade chinesa Qingdao, província de Shandong, está em Luanda, desde o início desta semana, com o objectivo de pesquisar o mercado angolano, para possíveis investimentos nos sectores das pescas, energia, agricultura, portos, cultura, comércio, comunicação social, rádio, televisão e telecomunicações.

Presidente da CAC (esquerda) e o autarca chinês Wang Jiaxin
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Ontem, a delegação participou numa conferência sobre “Cooperação comercial e cultural entre Angola e Qingdao”, promovida pela Câmara de Comércio Angola-China (CAC), com o objectivo de apresentar as áreas prioritárias definidas pelo Executivo para investimento estrangeiro.
Durante o encontro foi assinado, entre a CAC e o Governo Municipal de Qingdao, um memorando de entendimento,  para facilitar o negócio entre Angola e a cidade chinesa, em que foram signatários o presidente Câmara, Arnaldo Calado, e o autarca do Gover-no Municipal de Qingdao, Wang Jiaxin.
Na ocasião, Arnaldo Calado considerou a assinatura do acordo “mais uma  janela que se abre para o investimento entre os dois países”.
A cidade de Qingdao tem tido um rápido desenvolvimento nos últimos anos. Com uma taxa de crescimento anual de 18,9 por cento em 2006, o PIB da cidade está avaliado em 42,3 mil milhões de dólares.
Com base nesse sucesso, os empresários de Qingdao querem deslocar fábricas para Angola, com vista a acelerar o crescimento económico do país. O perfeito adjunto do Governo Municipal de Qingdao afirmou que a assinatura do acordo vai facilitar o investimento em ambos os países.
Arnaldo Calado considerou recentemente, em declarações ao  Jornal de Angola ser fundamental que o Governo aposte na cooperação empresarial entre privados.

Tempo

Multimédia