Economia

ENAPP não recebeu reforço do IGAPE

A Escola Nacional de Administração e Políticas Públicas (ENAPP) comunicou segunda-feira, em nota de pedido de direito de resposta, que as informações sobre a instituição, veiculadas na edição de sexta-feira, 11 de Setembro, do Jornal de Angola, “reflectem inverdades, difamação e injúria, imbuídas de má-fé e mancham a imagem e o bom nome da instituição, bem como violam os princípios da ética, da deontologia profissional de quem deve assegurar a informação ao público em geral”.

No documento, a EN-APP avançou que tal informação sugere que a instituição teria se beneficiado de um aumento acima de dois mil milhões de kwanzas por ano, “o que não corresponde com a verdade dos factos”, uma vez que, à data (2019), apenas recebeu 1,1 mil milhões de kwanzas por ano, como subsídios operacionais, dos quais são, igualmente, pagas as remunerações dos trabalhadores.

Assim, o Conselho de Administração da ENAPP responde a uma notícia estampada na página 25, da edição acima referida, sob o título “Empresas sem subsídios lucram 299,5 mil milhões”, na qual se dá referência a um reforço financeiro à instituição por parte do IGAPE (Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado), correspondente a um aumento dos subsídios na ordem de 20 por cento, traduzida numa subida de 6,11 mil milhões de kwanzas para três empresas, sendo uma delas a ENAPP e duas outras empresas do sector da Comunicação Social.

Finalmente, a instituição diz que, “em observância ao princípio do contraditório, que não foi observado e deve reger a publicação de qualquer notícia, a EN-APP solicita à direcção do Jornal de Angola a reposição da verdade e manifesta a sua disponibilidade em ponderar eventuais responsabilidades que advirem desta informação”.

Tempo

Multimédia