Economia

Entraves ao comércio internacional preocupam Governo

“As medidas não-tarifárias estão a ganhar mais importância no controlo e no impedimento do comércio internacional e representam um grande desafio para exportadores, importadores e formuladores de politicas” , defendeu ontem, em Luanda, Amadeu Leitão Nunes, secretário de Estado do Comércio.

Fotografia: Vigas da purificação| Edições Novembro

Numa altura em que o país procura assegurar um maior equilíbrio entre o comércio interno e externo, com um foco recente nas exportações para além do petróleo, o Ministério do Comércio pretende aumentar a capacidade produtiva e melhorar as condições de acesso aos mercados internacionais.
Só no sector da Agricultura, a Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) estima que, em média, os direitos associados às medidas não-tarifárias (que incluem as quotas de importação, barreiras técnicas relativas à segurança dos produtos, práticas enganosas à saúde humana e animal, entre outras) são três vezes mais elevados do que os direitos aduaneiros.
Amadeu Leitão Nunes interveio na abertura do seminário de formação sobre medidas não-tarifárias e lembrou que o acesso aos mercados é cada vez mais determinado por diversos requisitos.

Tempo

Multimédia